MENU

29/07/2021 às 19h42min - Atualizada em 29/07/2021 às 19h42min

Justiça manda soltar suspeito e família de Carla Tayra faz protesto em frente ao Fórum

O suspeito do crime, Wendel Silva Machado, passou cinco meses na cadeia

Dema de Oliveira
Wendel Silva Machado foi colocado em liberdade - Fotos: Arquivo/O PROGRESSO
 
Familiares e amigos de Carla Tayra Sousa de Oliveira, de 19 anos, morta em janeiro deste ano, se reuniram na manhã desta quinta-feira (29) em frente ao Fórum de Imperatriz, cobrando justiça pela morte da jovem, após o principal suspeito de ter cometido o crime, ex-namorado da vítima, Wendel Silva Machado, ter sido colocado em liberdade. Wendel, que é comerciante em Amarante do Maranhão, a 115 km de Imperatriz, passou apenas 5 meses na cadeia. 

O PROGRESSO apurou que o motivo alegado pela Justiça para deferir favoravelmente pela liberdade de Wendel Silva Machado, foi falta de provas. A polícia encontrou sangue no carro do acusado que pode ser da vítima, amostras foram colhidas para realização de exame de DNA, comparando com material da mãe dela, porém o resultado do exame não saiu até hoje, depois de seis meses.

A jovem foi morta brutalmente com golpes de faca. O corpo foi encontrado na Avenida Pedro Neiva de Santana, no Camaçari. 

O caso - De acordo com investigações da polícia, o principal suspeito de ter cometido o crime, o ex-namorado da vítima, Wendel Silva Machado, teve um relacionamento de 7 meses com Carla, depois de se relacionarem pela internet, que chegou ao fim uma semana antes da jovem ser morta, devido ao histórico de agressões que Carla vinha sofrendo ao longo do relacionamento. Ainda no dia do término, o suspeito cortou a perna e a mão da vítima e deferiu um soco no rosto.

Segundo os familiares, na época a vítima não registrou boletim de ocorrência contra o ex-namorado por medo, já que recebia ameaças. O relacionamento teve um fim trágico.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...