MENU

07/07/2021 às 19h31min - Atualizada em 07/07/2021 às 19h31min

Operação da Polícia Civil cumpre 18 mandados de prisão em Imperatriz, São Luís e Pedreiras

Presos são membros de uma organização criminosa com atuação no estado

Dema de Oliveira
Material apreendido pela polícia durante a operação “Red Fall” - Foto: Divulgação/Polícia Civil
 
A Polícia Civil realizou na manhã desta quarta-feira (7) uma operação e prendeu 18 pessoas em Imperatriz, São Luís e Pedreiras, que são investigadas por participação em organização criminosa responsável por diversos homicídios. As prisões são temporárias de 30 dias, podendo ser transformadas em preventivas, no final do prazo estipulado pela justiça.

A mega-operação foi batizada de ‘Red Fall’ (queda vermelha) e tem como propósito desmontar a estrutura da organização criminosa que age na região tocantina com as prisões dos mandantes e executores de homicídios. O nome dos investigados não foi informado pela polícia.

Na capital maranhense, três mandados de prisão foram cumpridos contra alvos que já estavam presos no Complexo Penitenciário de Pedrinhas.

Durante a operação, a polícia também apreendeu várias armas de fogo, munições de diversos calibres, entorpecentes, dinheiro em espécie e vários aparelhos de celular.

A operação contou com a participação de cerca de 100 policiais civis do Departamento de Homicídios de Imperatriz, Caxias e Timon, além da Superintendência de Homicídios e de Proteção à Pessoa (SHPP), da Superintendência de Estadual de Investigações Criminais(SEIC) e da Superintendência de Repressão ao Narcotráfico (SENARC) de São Luís. O Centro Tático Aéreo(CTA) também deu apoio a operação.

Cinco homicídios
O delegado Praxisteles Martins, titular da Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) em Imperatriz, em entrevista a O PROGRESSO informou que esse grupo preso em Imperatriz está sendo investigado por envolvimento em cinco crimes de homicídios na cidade. 

“Um dos alvos estava preso por cometimento de um homicídio, e próximo de ir a julgamento, recebeu liberdade provisória e voltou a cometer crimes dos mais variados, incluindo homicídio e tráfico de droga, crimes próprios de organizações criminosas. Esse alvo é uma das lideranças na cidade”, destacou o delegado Praxisteles.

Praxisteles destacou ainda que esse combate é necessário, não só para reprimir os crimes por eles cometidos, como também para desencorajar outras ações contra a vida, que vem acontecendo na cidade. “Objetivo principal, além de viabilizar a punição pelas ações criminosas cometidas, também desencorajar a prática de outros delitos e com isso contribuir para a diminuição dos índices de homicídios aqui na região”. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...