MENU

06/07/2021 às 18h56min - Atualizada em 06/07/2021 às 18h56min

GT da FIEMA “Pensar o Maranhão” realiza seminário Arco Norte

Ação ouviu representantes industriais de diversos setores para elaboração de estudo

Coordenadoria de Comunicação e Eventos do Sistema FIEMA
Gestores do Sistema FIEMA, comandados pelo presidente Edilson Baldez e convidados participaram do seminário - Foto: Divulgação
  
SÃO LUÍS - A Federação da Indústria do Estado do Maranhão (FIEMA), por meio do Grupo de Trabalho “Pensar o Maranhão”, promoveu na última segunda (05/07), na Casa da Indústria, o Seminário Técnico do Projeto Arco Norte.  

“O simpósio teve como objetivo apresentar os resultados parciais e preliminares dos primeiros seis meses dos estudos sobre o Arco Norte, elaborados pelos consultores da FIEMA, Allan Kardec Barros, professor da UFMA e ex-diretor da ANP e Ronaldo Carmona, professor da Escola Superior de Guerra, bem como defrontar-se com questões a respeito dos temas que envolvem grandes vetores futuros de desenvolvimento do Maranhão, estruturado em quatro áreas: Indústria, Agronegócio, Logística e Infraestrutura e Energia. Esse primeiro seminário, de uma série de quatro, faz parte do trabalho dos consultores de ouvir diversos setores econômicos. É um projeto de grande envergadura e a nossa perspectiva é de produzir bons resultados não só para o GT, onde nasceu a proposta, mas para todo o Estado”, enfatizou o coordenador do GT Pensar o Maranhão e do seminário e vice-presidente executivo da FIEMA, Luiz Fernando Renner. 

O tema dessa primeira edição foi indústria e as discussões foram abertas pelo presidente da FIEMA, Edilson Baldez que enfatizou a importância de pensar e planejar o futuro e ouvir a realidade de cada setor industrial.  

“Hoje iniciamos esse projeto e nossos consultores vão apresentar as primeiras ideias desse projeto. A nossa proposta é ouvir os diversos setores e contribuir para o desenvolvimento do Maranhão. Nós ainda temos muito o que fazer. É importante momentos como esse. Parar, refletir e planejar o futuro. Isso deveria ser uma prática de todo gestor”, destacou Edilson Baldez.  

Para tratar sobre o tema central, o seminário contou com a presença do Diretor da Agência Espacial Brasileira (AEB), Cristiano Trein, do gerente de logística e suprimentos da ALUMAR, Márcio Favéro, do consultor de relações corporativas da Suzano, Mauro Rangel, do gerente executivo industrial da Suzano, José Ventura e do presidente do Sinduscon-MA e vice-presidente executivo da FIEMA, Fábio Nahuz.  

O professor Ronaldo Carmona falou do estágio dos estudos e da ideia do seminário. “A ideia aqui é fazermos uma breve apresentação do que trata o projeto e situar os eixos do trabalho. Para isso convidamos duas grandes empresas industriais, a Suzano e a Alumar, o setor de construção civil, representado pelo Sinduscon-MA e a Agência Espacial Brasileira, para discutir Alcântara como uma nova São José dos Campos. Esse seminário é um dos filhos do GT Pensar o Maranhão.” 

O Maranhão na opinião do pesquisador é o eixo central do Arco Norte. O Estado é localizado acima do paralelo 16º S, uma linha imaginária que passa acima da capital federal, tudo que se encontra acima consistem no setor de logística e no agronegócio como Arco Norte, que engloba os terminais das regiões Norte e Nordeste. Segundo Carmona, os portos do Arco Norte representam o segundo maior local de saída de grãos de soja e milho exportados do Brasil para o exterior, como por exemplo, o Porto do Itaqui e demais portos de São Luís. 

O seminário contou ainda com a presença do diretor regional do SENAI, Raimundo Arruda, do superintendente do SESI-MA, Diogo Lima, da coordenadora regional do IEL, Michele Frota, do superintendente da FIEMA, César Miranda, do vice-presidente executivo da FIEMA, Celso Gonçalo e do coordenador de Ações Estratégicas da FIEMA, José Henrique Polary. 

“A Agência Espacial Brasileira vem participando dessas discussões dentro da FIEMA já há algum tempo e cada vez mais sinergias são desenvolvidas. Para nós é importante acompanhar essas discussões porque o programa espacial brasileiro vem investindo muito no Centro Espacial de Alcântara e o programa não vê apenas as atividades espaciais como um fim e sim como um contexto de desenvolvimento de contexto regional, do Estado e do Brasil”, destacou o Cristiano Trein, diretor da Agência Espacial Brasileira (AEB). 

A reunião de trabalho aconteceu na dinâmica de debate, baseado em questões direcionadas aos convidados, e de outros questionamentos formuladas pelos técnicos do projeto e membros do seminário. 

“É um prazer estar aqui representando o Consórcio Alumar nesse primeiro seminário do Arco Norte onde estamos discutindo ações e o futuro da indústria no Estado do Maranhão. Trata-se de uma grande oportunidade para debater temas e oportunidades comuns ao desenvolvimento da indústria”, enfatizou Márcio Fávero, Gerente de Logística e Suprimentos da Alumar. 

“O Seminário proporcionou uma troca de informações sobre os diversos aspectos de colaboração e oportunidades para o crescimento industrial no Maranhão. Participar desses fóruns é uma excelente oportunidade para refletirmos juntos sobre os principais impulsionadores da indústria no nosso estado, e isso só reforça o compromisso da Suzano com o crescimento sustentável da região”, destaca o Gerente Executivo Industrial da fábrica da Suzano no MA, José Wilhelms Ventura. 

“A discussão da indústria da construção nesse seminário é muito importante. Nós trouxemos aqui a nossa contribuição no PIB do setor industrial, mas também os gargalos que podem nos impactar como a informalidade e falta de industrialização e a competitividade”, enfatizou o presidente do Sinduscon-MA, Fábio Nahuz.     

Ao todo serão 4 encontros que vão discutir os grandes vetores futuros de desenvolvimento do Maranhão, estruturado em quatro áreas: Indústria, Agronegócio, Logística e Infraestrutura e Energia. Vale ressaltar que a reunião aconteceu em formato híbrido e seguiu todas as normas sanitárias.  

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...