MENU

28/06/2021 às 17h33min - Atualizada em 28/06/2021 às 17h33min

Defesa Civil recebeu cerca de 39 denúncias só este ano

Maioria dos casos são de anomalias estruturais de empresas, residências, árvores com risco de queda, aterro de riacho, entre outros

Islene Lima
Ascom/PMI
A Defesa Civil trabalha na prevenção e minimização de desastres - Foto: Edmara Silva
 
Muita gente não sabe, mas o trabalho da Superintendência Municipal de Proteção e Defesa Civil, é mais que uma fiscalização, é um conjunto de ações preventivas destinadas a evitar desastres e seus impactos à população. Diante disto, o órgão trabalha com serviços antes, durante e depois, muitas das vezes por meio de denúncias dos próprios cidadãos.

Só em 2020, mesmo em meio com a pandemia da Covid-19, foram 132 denúncias atendidas em diversos bairros e ruas de Imperatriz. Casos como anomalias estruturais de empresas, residências, queda de imóveis, construção nas margens de riachos, inundações, árvores com risco de queda, aterro de riachos, além das fiscalizações, juntamente com equipes de outras secretarias para orientação e cumprimento do isolamento social, foram algumas das ações realizadas pela pasta.

O superintendente Josiano Galvão destaca que nesses primeiros seis meses a Defesa Civil já atendeu 39 denúncias, muitas relacionadas à queda de árvores, interdição de imóveis com risco de desabamento e aglomeração. 

“Nosso trabalho consiste em suprir qualquer necessidade que nos compete, visando o bem-estar e segurança do cidadão, por meio de vistorias, orientação, fiscalização, interdição se for o caso e apoio no que tange a segurança da vida”, afirma o superintendente.

Quando chamar a Defesa Civil? Quando há verificação de riscos como:

 - Inundação, alagamento, erosão, entre outros com vítimas e desabrigados;
- Graves desastres com vítimas e desabrigados;
- Muros e pontes com risco de desabamento;
- Construções e aterros nas margens de riachos, córregos e rio;
- Poste de eletrificação e árvores com risco de queda;
- Incêndios e explosões, com vítimas;
- Destelhamentos;
- Rupturas ou colapso de vias públicas;
- Sinais de riscos em geral: rachaduras, trincas, fissuras em; edificações, deformações, fumaça, odores ou ruídos incomuns, etc;
- Deformações em estruturas (lajes, vigas, pilares e paredes);
- Infiltrações graves com risco de desabamento;
- Recalque de fundações (rebaixamentos de terra ou de paredes);
- Fenômenos ou eventos estranhos e suspeitos quanto a riscos.
É importante deixar claro também o que não é pertinente à Defesa Civil. De maneira geral, não fazem parte dos atendimentos de emergência situações, eventos, necessidades tais como:
- Insalubridade (esgoto, umidade, ratos, etc.);
- Solicitação de obras;
- Serviços;
- Reparos usuais;
- Reclamações (lixo, entulho, etc );
- Risco não emergencial de queda de árvores;
- Vazamentos ´comuns´ de água ou esgoto;
- Captura ou remoção de animais;
- Conflitos de vizinhança;
Para formalização de denúncias, manifestações de elogios, entre outras demandas citadas, entre em contato com a Defesa Civil pelo telefone e WhatsApp (99) 99152-0832.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...