MENU

10/05/2021 às 18h54min - Atualizada em 10/05/2021 às 18h54min

Ação conjunta da Sefaz e da PRF identifica comercialização irregular de queijo e soja na divisa com o Pará

SECAP/MA
SEFAZ-PRF - AGED/MA e PRF fiscalizam transporte de produtos de origem animal e vegetal - Foto: Divulgação
Agentes do Posto Fiscal de Itinga, da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz), localizado na divisa do Maranhão com o estado do Pará, a 620 km de São Luís, realizaram ação fiscal, em articulação com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que resultou na retenção de uma carga de queijo sem a nota fiscal, documento exigido em qualquer operação comercial.

A carga de queijo sem a documentação fiscal exigida e sem o recolhimento do ICMS devido na operação, saiu de uma indústria de lacticínios estabelecida no Pará e se destinava ao mercado consumidor do estado do Ceará. A carga está avaliada em R$ 157.500,00.

Com a comprovação da irregularidade, o Posto Fiscal de Itinga cobrou o ICMS que, acrescido da multa de 100% do valor do imposto devido, resultou num total cobrado de R$ 61.740,00, valores que já foram recolhidos aos cofres públicos pelos detentores da carga de queijo.

O gestor fiscal do posto fiscal da Sefaz em Itinga, Henrique Martins, destacou a parceria com a PRF que deu todo o apoio logístico para que a operação fiscal fosse concluída com êxito na rodovia federal BR-010 (BR Belém-Brasília).

No mesmo dia, a ação fiscal conjunta da Sefaz e da PRF identificou ainda uma carreta que transportava soja, na qual foi constatado que havia 10 toneladas a mais de grãos, além do total de grãos que estava informado na nota fiscal que acompanhava a carga também na rodovia Belém-Brasília. A irregularidade foi comprovada após a PRF fazer a pesagem do caminhão em uma de suas balanças na BR-010, quando o veículo transitiva pela localidade de Itinga, a 60 km de Açailândia. A PRF tem um programa de combate ao excesso de carga transportada em caminhões e carretas nas rodovias federais, excesso esse que danifica as rodovias brasileiras.

Com a comprovação da irregularidade com a carga de soja, o posto fiscal reclamou, por meio do auto de infração, o ICMS e a multa devidos pelo excesso de carga não informado na nota fiscal, no total de R$ 4.698, valores estes que já foram recolhidos aos cofres públicos.

A Sefaz tem feito um grande esforço para controlar a comercialização de produtos com alguma irregularidade fiscal nas divisas interestaduais do Maranhão e, para isso, conta com o apoio fundamental da PRF, que possui uma estrutura com mais de 450 unidades operacionais de policiamento nos municípios brasileiros.

Ao longo do ano passado, os postos fiscais da Sefaz apreenderam vários carregamentos de mercadorias com documentação fiscal irregular ou sem documento fiscal que transitavam pelas rodovias do Estado.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...