MENU

07/04/2021 às 00h00min - Atualizada em 07/04/2021 às 00h00min

Livros & Leitura

A maravilhosa viagem ao Mundo das Letras

Da Redação
GB Edições

Viva a Sua Cura

Na hora da emergência e da cirurgia, sua saúde fica nas mãos da equipe médica, mas, em todos os outros momentos, são suas escolhas que podem levar à cura ou à doença. Novos medicamentos podem diminuir os sintomas e prolongar a vida dos pacientes, porém, em muitos casos, o custo disso é uma sobrevida com muito sofrimento e diversos comprimidos por dia. Neste livro, o médico cardiologista Bruno Colontoni revela como todos nós podemos começar a curar as doenças antes mesmo de sermos acometidos por elas. Com base em evidências científicas e experiências próprias e de seus pacientes, ele mostra que atividades físicas, manejo do estresse, boas relações sociais, abandono de substâncias tóxicas, alimentação e sono são os pilares para conquistar uma boa saúde e se recuperar mais rápido das enfermidades que possam surgir. “Viva a Sua Cura” apresenta as ferramentas necessárias para o leitor tomar as rédeas da própria saúde e dar um grande presente a si e às pessoas que o amam: cuidar de si mesmo. Com 2016 páginas, o livro é da Editora Fontanar.
 

A Hora da Essência

De pé, Ana. Deitada, Sofia. Enfermeira e paciente. Uma, inteira. A outra, aos pedaços. É a partir deste encontro que o padre Fábio de Melo mergulha em profundas reflexões sobre a morte. O novo livro é, na verdade, uma ode à vida. Em “A Hora da Essência”, o sacerdote analisa a importância de reconciliar-se com si mesmo e valorizar a vida antes que seja tarde demais. A história começa antes mesmo de Sofia conhecer sua companheira de quarto, que espontaneamente, sem mais explicações, decide dedicar parte de suas férias para cuidar da paciente recém-chegada. Internada às pressas, a protagonista se depara com a notícia de que não irá sobreviver ao câncer, diagnosticado inicialmente no pâncreas, mas que acometeu também outros órgãos. Após estes momentos iniciais de solidão, já com a presença da enfermeira ao seu lado, Sofia passa a refletir sobre o passado, emergindo boas lembranças, mas também às cicatrizes deixadas por escolhas que hoje percebe equivocadas. Após um casamento de muitos anos terminar, ela passou erroneamente a culpar o único filho, que acabou fugindo de casa. Por conta da doença inesperada, Sofia então não teve tempo de conseguir informações sobre o paradeiro do filho, aumentando o tormento naquele que seria seu leito de morte. Neste processo, ela toma atitudes para recuperar o que havia deixado para trás e encontrar sua verdadeira essência. “A Hora da Essência” tem 264 páginas e é um lançamento da Editora Planeta que já é responsável pela publicação dos outros títulos do padre Fábio de Melo. Um dos maiores autores best-sellers do Brasil, o sacerdote se dedica à evangelização também por meio da arte, como escritor, cantor e compositor, e, ainda, como professor universitário.
 

Para Não Desistir do Amor

Um livro dedicado a todos que não desistem de amar, “apesar de tudo que insiste em pesar”. Depois dos sucessos “Pressa de Ser Feliz” e “Não Me Julgue Pela Capa”, nos quais abordou temas como ansiedade e insegurança, Matheus Rocha retoma, na literatura, os assuntos que o tornaram conhecido nas redes sociais: autoestima e relacionamentos. “Para Não Desistir do Amor”, publicado pelo selo Outro Planeta da Editora Planeta, externa inquietudes e dilemas cotidianos do autor e inunda com reflexões os leitores que, assim como ele, estão desacreditados no amor. “Como um pedido de socorro ou uma boia para aqueles que estejam tal como eu, se afogando, escrevi as próximas páginas, mas elas não são mais minhas”, anuncia, já na introdução. Conhecido por suas crônicas, desta vez Matheus inova no gênero textual e se aventura, também, por poemas e aforismos. “Seu Cheiro Passou Por Mim”, “Nem Todo Sorriso é Honesto”, “Eu Precisei Perder Você Para Me Ganhar” e “Expectador das Felicidades Alheias” intitulam alguns dos textos com a mesma sensatez que lhe rendeu mais de um milhão de seguidores nas redes sociais. Assim como a capa, representada por um girassol, alguns desses aforismos estão acompanhados de ilustrações botânicas. Nas imagens e nos textos, a analogia entre as pessoas e as plantas refletem vontades e características como o cuidado que deve permear os relacionamentos. “Aprendi que nem todas as sementes plantadas vingam, mas, quando germinam, quase todas dão flor”. De fato. Baiano de Feira de Santana, morador da capital paulista e prestes a completar 30 anos, Matheus Rocha é um jornalista que criou grande identificação com os leitores. Criador de Neologismo, extrapolou as redes sociais para se tornar também um sucesso de vendas e de crítica - com seis títulos publicados até o momento. “Pressa de Ser Feliz” tem 128 páginas.

 

Autismo e Mediação

Escrito pelos psicanalistas Isabelle Orrado e Jean-Michel Vives, ambos professores da Universidade Côte d’Azur, em Nice, na França, “Autismo e Mediação: Bricolar Uma Solução Para Cada Um” é publicado agora no Brasil pela Aller Editora e apresenta-se como uma lufada de ar fresco sobre uma questão tão delicada. Para o autista, o mundo exterior é tumultuoso e insuportável. Por isso, ele escolhe um ponto seguro de fixação - um objeto ou uma área de conhecimento, como música, desenhos, carrinhos, entre outros. A proposta do livro é que esse ponto seja tomado como objeto de mediação entre o sujeito e o mundo. Considerar a habilidade ou o interesse específico de cada um é, portanto, essencial; torna-se necessário abandonar os modelos pré-formatados de atendimento e bricolar, isto é, arranjar-se com os “meios que se tem à mão”, como define Lévi-Strauss.  O analista deve não apenas escutar o paciente de forma singular, mas também criar com aquilo que este apresenta. Isabelle e Jean-Michel advogam que o uso desse ponto de fixação torna o contato analista-autista – e autista-mundo exterior – possível. Os autores aprofundam o tema desenvolvido discorrendo sobre a relação do sujeito autista com a voz e a pulsão invocante – tema sobre o qual os autores têm artigos e livros publicados. Eles argumentam que a voz sonorizada (emitida por uma máquina) pode, muitas vezes, servir como mediação entre o autista e o seu entorno. “Autismo e Mediação” é uma proposta inovadora, pois apresenta novas possibilidades para o atendimento de sujeitos autistas, construindo a teoria a partir de observações de casos clínicos. Isabelle Orrado e Jean-Michel Vives apontam com clareza e empatia maneiras de como utilizar o objeto de fixação a favor do tratamento do sujeito.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...