MENU

01/04/2021 às 00h00min - Atualizada em 01/04/2021 às 00h00min

“A vacinação é o passaporte para o fim da pandemia”, diz ministro

Grupo coordenado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, é responsável por centralizar as ações de combate à doença, com representantes do Legislativo e do Judiciário

Marina Pagno - Ministério da Saúde
Ministério da Saúde
Queiroga participou da 1ª reunião do Comitê Nacional para Enfrentamento à Covid-19 - Foto: Tony Winston/MS
O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, participou, na manhã desta quarta-feira (31), da primeira reunião do Comitê de Coordenação Nacional para Enfrentamento da Pandemia da Covid-19, com o presidente da República, Jair Bolsonaro, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, o presidente da Câmara, Arthur Lira, e demais autoridades. 

“Essa reunião é a materialização da harmonia entre os poderes como uma ferramenta para enfrentamento à pandemia”, disse Queiroga em pronunciamento no Palácio do Planalto, ao lado de Pacheco e Lira. 

O ministro destacou o esforço do Congresso Nacional na aprovação de medidas para reforçar a campanha de vacinação no país e a assistência no Sistema Único de Saúde (SUS). 

“Essas iniciativas se somam a outras já em andamento. O objetivo é reduzir o número de casos que pressionam o sistema público de saúde. A campanha de vacinação ampla e ágil é o passaporte para o fim da pandemia. Esse é o esforço que temos feito”, ressaltou o ministro, relembrando que o Brasil já tem mais de 562 milhões doses de vacinas covid-19 contratadas para 2021. 

Sobre medicamentos para intubação, o ministro esclareceu que a pasta acompanha a evolução dos estoques em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para distribuir os insumos para a saúde pública e suplementar, a fim de dar assistência a pacientes graves. 

“Estamos em tratativas com a OPAS e o governo americano para buscar esses produtos no exterior e estabelecer estoques reguladores”, explicou.
 
Juntamente com os medicamentos, Queiroga citou as ações do Ministério da Saúde para auxiliar estados e municípios nos estoques de oxigênio medicinal: “conversamos também com a iniciativa privada para termos mais cilindros disponíveis a cidades mais remotas. Importamos do Canadá 13 caminhões-tanque para transportar oxigênio líquido aos hospitais”, disse. 

O ministro também citou o diálogo com a comunidade científica para a elaboração de protocolos assistenciais para otimizar a assistência de pacientes graves e reforçou a criação de uma secretaria extraordinária de enfrentamento à covid-19, que irá centralizar as ações de combate à doença dentro do Ministério da Saúde. 

Por fim, Queiroga reforçou a importância do apoio da população para conter a circulação do coronavírus: “cada um deve fazer a sua parte. O uso de máscaras, o distanciamento entre si. Estou conversando com o Ministério da Infraestrutura para disciplinarmos o uso do transporte coletivo, para dar segurança aos brasileiros que usam desses meios para se locomover”. 

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...