MENU

17/03/2021 às 00h00min - Atualizada em 17/03/2021 às 00h00min

Policiais civis do Tocantins aderem ao lockdown da Segurança Pública e cruzam os braços

Eles cobram vacinação da categoria e são contra aprovação da PEC Emergencial

Secretaria de Segurança Pública-TO
Segurança Pública/Governo do Tocantins - Divulgação
Os policiais civis do Tocantins vão realizar um ato de protesto nesta quarta-feira (17), às 14h, contra a aprovação da PEC 186/2019, conhecida como PEC Emergencial, e em prol da vacinação imediata dos profissionais da segurança pública.

A convocação recomenda que os policiais se posicionem de braços cruzados em frente às respectivas delegacias em que atuam e na porta da Secretaria de Segurança Pública (SSP), onde serão distribuídas faixas simbolizando a mobilização.

O Sindicato dos Policiais Civis do Tocantins (Sinpol-TO), autor da convocação no Estado, afirmou que a paralisação acontecerá em todo o Brasil e também será realizada uma carreata pela esplanada dos ministérios, em Brasília. Além disso, fotos e vídeos devem ser postados nas redes sociais.

Lockdown da Segurança Pública
Conforme o Sinpol-TO, a Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol) e a União dos Policiais do Brasil (UPB) preveem uma paralisação por 24 horas nos próximos dias.
O Sinpol-TO informa que está acompanhando e decidindo com as entidades um melhor momento, tendo em vista a alta contaminação pelo coronavírus”, afirmou.

A presidente do Sinpol-TO, Suzi Francisca, ressaltou a necessidade de continuar lutando pelos direitos das forças de segurança pública. “Temos que demonstrar nossa indignação aos responsáveis que todos os dias querem arrancar os nossos direitos. Já enfrentamos tantos percalços diários na profissão, como péssimas condições na infraestrutura dos locais de trabalho, e ainda temos que suportar o sucateamento salarial que esses governantes nos impõem, isso é um absurdo! Convido a todos a aderirem esse movimento e juntos lutarmos pela manutenção daquilo que é nosso”, disse.

Desvalorização
O sindicato também argumentou que, no Tocantins, a última vez que os policiais civis tiveram aumento salarial foi em 2010, a data-base foi concedida em 2019 com o índice de 1.69%, e atualmente está atrasada, assim como as progressões.

“Como se já não bastasse toda essa desvalorização da categoria a nível estadual, foi aprovada na última sexta-feira (12), na Câmara dos Deputados, a PEC 186/2019, do presidente Jair Bolsonaro, que propõe um novo auxílio emergencial e uma contenção fiscal, controle de despesas com pessoal e redução de incentivos tributários. E quem será diretamente afetado com a medida? O bolso dos servidores públicos, sejam os ativos, inativos ou pensionistas, das esferas Federal, Estadual e Municipal, que serão punidos com um congelamento salarial sem qualquer reajuste por até 15 anos”, disse o sindicato. 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...