MENU

13/03/2021 às 00h00min - Atualizada em 13/03/2021 às 00h00min

Palestras da 2ª Vara da Mulher falam de autoestima e ansiedade na pandemia

Para lembrar a passagem do Dia Internacional da Mulher – 8 de março, a 2ª Vara Especial de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher de São Luís programou palestras educativas direcionadas à comunidade, com a participação de especialistas convidados pela juíza Lúcia Helena Heluy, titular da unidade.

Asscom CGJ
Divulgação
A 2ª Vara da Mulher programou duas lives pelo Instagram da Escola Superior da Magistratura do Maranhão (ESMAM) - @esman_tjma, mediadas pela magistrada. A primeira foi sexta-feira, 12, às 17h, abordou o tema “Covid-19 e a Violência Contra a Mulher”, com o médico epidemiologista Antonio Augusto Moura Silva, professor do Departamento de Saúde Pública e do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). A segunda, foi no sábado, dia 13, às 10h, com a psicóloga e logoterapeuta Rogener Santos Costa,  discutiram os aspectos relacionados ao tema “Auto-Estima e Ansiedade na Pandemia”.

Para a juíza da 2ª Vara da Mulher, ser mulher é enfrentar a vida com delicadeza, força, coragem e sabedoria, todos os dias. “Que em nossa sociedade as mulheres sejam mais reconhecidas, amadas, valorizadas e respeitas”, disse. No Dia da Mulher, a vara publicou cartões virtuais na internet chamando a atenção para a necessidade de denunciar os casos de violência contra às mulheres na comunidade.

O slogan “Não existe vacina contra a violência doméstica”, foi utilizado para alertar a população sobre o aumento do risco dos casos de feminicídios e agressões às mulheres durante o período do isolamento social no contexto da pandemia de coronavírus. 

Durante o período de suspensão das atividades presenciais no Poder Judiciário – entre 8 e 17 de março -, a 2ª Vara da Mulher disponibilizou meios de contatos eletrônicos aos usuários. O atendimento exclusivo às mulheres é prestado pelo whatsapp (98) 98113-1375. Os usuários também podem acionar a unidade pelo telefone da secretaria judicial (98- 3231-0420) e pelo e-mail [email protected]).

DISQUE-180

Para denunciar casos de violência contra a mulher na comunidade, as vítimas, ou seus familiares, amigos ou vizinhos podem chamar as autoridades pelo disque-180 (Central de Atendimento à Mulher do governo federal). A ligação é gratuita. Segundo informações do Ministério da Mulher, o serviço também pode orientar mulheres em situação de violência, direcionando vítimas para os serviços especializados da rede de atendimento. Também é possível se informar sobre os direitos da mulher, a legislação vigente sobre o tema e a rede de atendimento e acolhimento de mulheres em situação de vulnerabilidade.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...