MENU

24/02/2021 às 00h00min - Atualizada em 24/02/2021 às 00h00min

SENAI/MA e Suzano realizam em Imperatriz curso inédito na área de papel tissue 

Durante seis meses, os alunos selecionados terão a oportunidade de receber qualificação profissional, e posteriormente serem contratados 

Coordenadoria de Comunicação e Eventos do Sistema FIEMA
Por conta da pandemia, o modelo de estudo adotado será o híbrido com aulas on line e presenciais totalizando seis meses de curso - Divulgação
Vinte e quatro jovens de Imperatriz e região passaram por seletivo e entrevista qualificada para compor a turma de iniciação profissional em fundamentos em fabricação e conversão de papel tissue, curso inédito no Brasil, por enfatizar a conversão do papel que trata do processo de converter a bobina em produto acabado. E na segunda-feira (22), foi realizada a aula inaugural com a presença de alunos, executivos da Suzano, instrutores e gerente do SENAI.  

A iniciativa da Suzano realizada em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI-MA), entidade do Sistema FIEMA, oportuniza além da qualificação profissional, a possibilidade de contratação dos melhores alunos durante o curso.  

Marcos Silva, 20 anos foi um dos selecionados e diz estar otimista com a nova oportunidade. “Diante do cenário que vivemos, enxergo como uma oportunidade ímpar de crescimento e oportunidade profissional. Pretendo dar o meu melhor e quem sabe ser um dos escolhidos para compor esse time”, declara o jovem.  

O consultor de manutenção da Suzano, André Matias, veio de São Paulo contribuir com sua experiência na formatação e estruturação do curso. Ele conta que a iniciativa é algo inovador no país. “É inédito no Brasil porque nós não temos nenhum curso formatado com essa estrutura. O que temos é curso e pós-graduação em papel e celulose, mas com ênfase em fabricação e conversão não temos, esse é o primeiro. Entretanto, que uma das dificuldades está em encontrar literaturas falando de conversão, regulagem de máquinas, benefícios de papel, tecnologias”.  

 Matias destaca ainda, que a iniciativa é inédita por converter a bobina em produto acabado, dentro de bens de consumo e tissue. “Nós transformamos o papel em produtos absorventes como higiênicos, toalha, lenço, fralda, lenço hospitalar. Aqui em Imperatriz estamos falando da fabricação do papel higiênico ou da tolha de cozinha”, ressalta.   

Por conta da pandemia, o modelo de estudo adotado será o híbrido com aulas on line e presenciais totalizando seis meses de curso. Durante o percurso, os alunos terão oportunidade de vivenciar na fábrica a parte prática do curso e vivenciarem em loco o funcionamento e processo para fabricação e conversão de papel tissue.  

Para o gerente Industrial Tissue, Wagner Carvalho de Liz, essa é uma oportunidade que viabiliza o sucesso tanto para empresa como para a cidade. “Essa relação SENAI/Suzano é importantíssima principalmente por nos permitir desenvolver talentos locais, pois é muito fácil fazer sucesso trazendo gente de fora, mas o mais importante é investir em pessoas da região. Porque para nós não é interessante desenvolver somente a empresa, mas desenvolver talentos locais e a comunidade na qual estamos inseridos”.  

O gerente do SENAI Imperatriz, Juares Sanches, destaca que a entidade tem o papel da qualificação de mão de obra para a indústria e se difere dos demais por desenvolver uma metodologia própria de educação profissional. “Estamos alinhados com as mudanças e as inovações que ocorre dentro das indústrias, portanto procuramos trabalhar nos alunos tanto as capacidades técnicas como as socioemocionais, que fazem grande diferença no ambiente profissional”.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...