MENU

06/02/2021 às 00h00min - Atualizada em 06/02/2021 às 00h00min

Washington Brasil prepara CD “Filhos do Maranhão”

Cantor grava trabalhos de poetas de Imperatriz e da região

Raimundo Primeiro
Washington Brasil - Divulgação
O cantor Washington Brasil aproveitou o período de isolamento provocado pela pandemia do novo coronavírus (covid-19) para trabalhar na preparação de mais um CD em sua carreira solo.

“Vivemos tempos difíceis, turbulentos, principalmente para a classe artística, tendo em vista a paralisação dos eventos, sem os shows”, afirmou o cantor, durante conversa com a reportagem de O PROGRESSO, ocorrida na manhã desta quinta-feira, 04/02, na Praça de Fátima, Centro, acrescentando ter aproveitado o período de “recesso” para trazer à tona diversas canções. 

Washington Brasil firmou parcerias com poetas locais e regionais, entre os quais Ribamar Silva, Dom Claus Machado e Cícero Melo, o que resultou na criação do CD “Filhos do Maranhão”, já em fase de gravação. O artista acaba de entrar no estúdio para consolidar seu novo disco. 

Segundo Washington Brasil, foi “uma quarentena de inspiração, vindo a mente, entretanto, várias ideias”, sendo uma delas, por exemplo, a de gravação de “Filhos do Maranhão”, com o objetivo de divulgar autores imperatrizenses e regionais, “valorizando a nossa cultura, levando a nossa arte para outros cantos do país”, garantiu.

REPERTÓRIO – Quarto CD de Washington Brasil, “Filhos do Maranhão” ainda não tem data para chegar às lojas. “Um trabalho preparado com carinho para as pessoas que gostam de nosso trabalho”. O cantor vive um novo momento musical. O repertório do novo disco foi escolhido “cuidadosamente, sem pressa”, afirmou.

Washington Brasil já percorreu diversas regiões do país, participando de (e vencendo) festivais musicais. Durante alguns anos, morou no interior de São Paulo. Lá, desenvolveu projetos e concretizou parcerias. 

ORIGEM – Filho de Imperatriz, tendo, porém, passado a infância na vizinha Cidelândia, Washington Brasil esteve ausente da cidade por 12 anos, residindo em Campinas (SP), mostrando trabalhos autorais e, obviamente, buscando fortalecer o talento regional em outras plagas. Conseguiu, participando de festivais e shows, os quais foram sucesso de público e crítica. Na cidade paulista, cantou em bares e boates, interpretando canções de renomados artistas nordestinos, entre eles Geraldo Azevedo, Raimundo Fagner, Zé Geraldo, Belchior, Ednardo e Elomar.

Profissionalmente, Washington Brasil surgiu após participar do 12º Festival Aberto Bico do Papagaio (Fabip), no Norte do Tocantins, ganhando projeção com a música “Das dores do coração”, captando o que nele flui de brejeiro, místico e, principalmente, humano, por meio da vivência sertaneja do tempo em que residiu no interior, sempre, porém, com “sonhos urbanos”. Também venceu importantes festivais realizados nas regiões Sul e Sudoeste, com a música “Simbora”, fortalecendo ainda mais seu nome no cenário artístico nacional.

AUTORAIS – Durante o tempo que morou em Campinas, ele conseguiu produzir três discos independentes, com músicas autorais. À reportagem de O PROGRESSO, Washington Brasil ratificou ter aproveitado o período para promover a difusão “das nossas coisas, dos nossos artistas, da nossa música”.

É indefectível que a música de Washington Brasil tem se caracterizado, desde o momento que ele surgiu no cenário artístico, com forte apelo para os ritmos e temas regionais, seguindo um curso natural, firmando-se como um dos mais autênticos representantes e defensores do cancioneiro regional, fazendo enaltecer a Música Regional Maranhense (MRM), sem jamais esquecer de suas raízes, “minhas origens, minha identidade”, conforme pondera. Tem ligação forte, intrínseca, com a MPB (Música Popular Brasileira).

MOURÃO – Não tem se esquivado – ou como ele mesmo observa, sempre que é interrogado – “mantenho-me como um mourão firme, uma ponte na fronteira tênue entre a cidade e o campo”, enfatizando, a propósito, sua fala rítmica de acentuada pronúncia brasileira, com a simplicidade que lhe é peculiar.

Versátil, atuando camaleonicamente, Washington Brasil produziu o segundo CD sob o título “Filhos do Tempo”, abordando, apropriadamente, temas relacionados a política, a assuntos sociais e ambientais, com a natureza em predominância. 

RITMOS – “Ritmos que influenciaram minha carreira, caso das cantorias, estilos do Nordeste, que vão do forró pé de serra, passando pelo xote, xaxado, indo até ao baião, perpassando por sons maranhenses, inclusive o reggae”, arrematou.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...