MENU

14/01/2021 às 00h00min - Atualizada em 14/01/2021 às 00h00min

Associação de Bares e Restaurantes busca ajuda da Câmara Municipal

Sidney Rodrigues
ASSIMP
Integrantes da ABRASEL estiveram com o presidente Alberto Sousa discutindo alternativas para a sobrevivência do setor de bares e restaurantes - Foto: Sidney Rodrigues
Compareceram ao gabinete da presidência da Câmara Municipal de Imperatriz na manhã desta terça, 12, os representantes da ABRESEL (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, regional Sul do Maranhão), que foi conversar com o novo presidente Alberto Sousa (PDT), em busca de alternativas para a restrição de horários e a forma que hoje são fiscalizados. Diante de uma pandemia que vem expandindo o desemprego e o fechamento de muitas empresas, eles ainda tem que enfrentar outras limitações que fazem com que as dificuldades só aumentem e torne inviável a continuidade dos serviços.  

O presidente Alessandro Di Minda, a vice Laís Bonfim e o associado Danilo Melo foram mostrar que existe a necessidade urgente da flexibilidade no horário do segmento, para que se possa trabalhar até um pouco mais tarde, aumentando pelo menos em uma hora o funcionamento dos estabelecimentos (de 02h para até 03h).  

“Isto beneficiará de forma significativa as empresas do setor, que precisarão contratar mais trabalhadores (garçons, atendentes, cozinheiros, seguranças e vários prestadores de serviço) e estenderá o lazer para os clientes aumentando a movimentação de toda a cadeia turística, hoteleira, gastronômica, de táxis, motoristas de aplicativos e muitos outras”, disse Alessandro.  

De acordo com ele, hoje se torna impossível e inviável funcionar somente em período noturno e ainda em horário limitado, com a quantidade de encargos, obrigações e dificuldades existentes. O chamado terceiro turno precisa ser trabalhado pois é um meio de emprego e renda muito pouco explorado, que pode ajudar a economia a se recuperar, mas para isso precisa da ajuda do legislativo.  

A associação surgiu por conta da pandemia. Participou e ajudou a cumprir os decretos da Prefeitura que foram colocados para bares e restaurantes. A contrapartida da entidade foi justamente trabalhar para dar segurança à população e facilitar o trabalho do poder público.  

“Hoje somos um grupo de 49 empresas que precisam garantir a sobrevivência de milhares de funcionários e uma hora a mais de funcionamento, é algo que vai ajudar muito. Iremos contratar mais e aqueles que não respeitam a lei do silêncio, não iremos dar apoio, queremos que haja fiscalização, orientação e penalização de quem não seguir as regras estabelecidas. Orientamos nossos associados da forma correta, e quem não seguir tem que ser notificado, multado e punido. Precisamos trabalhar da forma correta, de mãos dadas com a legalidade. É isso que precisa ser entendido”, informou o dirigente da ABRESEL.  

Alberto Sousa, determinou ao secretário do Poder Legislativo, Rômulo Andrade, que faça um levantamento sobre as leis que tratam da vida noturna e o que pode ser feito, pois esse movimento realmente pode gerar muitos empregos. O presidente da Câmara garantiu que irá trazer essa discussão para a Casa e que os vereadores vão discutir essa temática na volta dos trabalhos em fevereiro. 
 
“A geração de emprego é realmente gigantesca nesse meio do turismo de eventos e que acompanha a vida noturna. Pode ser um aumento significativo no desenvolvimento econômico da cidade. Vamos unir forças e no que depender do diálogo em ambiente democrático, nós vamos tratar, juntamente com as comissões permanentes para chegarmos a um denominador. Não ficaremos somente nas belas palavras, vamos transformar isso em realizações e ações”, finalizou o presidente. 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...