MENU

07/01/2021 às 00h00min - Atualizada em 07/01/2021 às 00h00min

​Zona Azul: entenda como funciona o estacionamento rotativo

Sistema garante rotatividade e organização no trânsito de Imperatriz

Islene Lima
Ascom/PMI
A aquisição dos créditos pode ser feita de duas formas: no cartão de crédito, por meio do aplicativo DIGIPARE ou no dinheiro, diretamente nos pontos de venda - Fotos: Patrícia Araújo
Desde que entrou em vigor, a Zona Azul tem democratizado o estacionamento na área central de Imperatriz. Isso devido à rotatividade e organização que o novo sistema possibilita aos motoristas e motociclistas. Diante disso, vale reforçar como funciona o estacionamento rotativo na cidade.

O gerente administrativo da empresa responsável pela implementação da Zona Azul no município, Arielton de Oliveira Costa, explica que o sistema usado aqui é o pré-pago, onde o usuário tem a opção de pagar pelo aplicativo ou através dos pontos de vendas que estão espalhados no Centro, que compreende da rua Coronel Manoel Bandeira, até a rua Rio Grande do Norte, e da Luís Domingues até a rua João Lisboa, que totalizam 50 quarteirões, com 60 pontos de vendas espalhados que funcionam da seguinte forma.

“Você estacionou seu carro, e caso já tenha baixado o aplicativo DIGIPARE, o usuário só terá que ativar a vaga de acordo com que achar necessário, com o tempo mínimo de 30 min para moto pagando R$0,50 e R$1,00 para carro. Já para o tempo máximo, o limite é de duas horas que é a rotatividade que a lei prevê, que custa R$2,00 para 1 hora de carro e R$1,00 para 1 hora de moto”. 

Outro ponto importante é com relação ao modo de usar. O gerente administrativo exemplifica que quando o usuário ativar a vaga no início, pelo aplicativo, o monitor quando passar fazendo a fiscalização do veículo já vai constatar que o transporte está regular dentro do sistema, ou seja, não será necessário procurar nenhum dos pontos para pagar o débito, sendo a  forma mais rápida. 

Após passar as duas horas na qual o usuário teria o direito de regularizar o seu ticket somente pagando o valor da tarifa base de 1 hora, que seria R$ 1,00 para moto ou R$ 2,00 para carro; passa a vigorar 1 hora no valor de R$2,00 para moto e R$4,00 para carro até as duas horas. Após esse horário de duas horas, a tarifa base passa a ser 10 vezes o valor de 1 hora.

Os monitores estão de prontidão para tirar qualquer dúvida, mas é importante que os condutores se atentem às informações que vem no ticket e nos panfletos.

“Nós passamos quatro meses fazendo campanhas educativas na mídia social, TV e rádio, fazendo panfletagem nas ruas para que não ocorresse erro de informação, como as que já ouvimos de que estamos multando, sendo que isso é uma inverdade. O nosso papel é de organizar e trabalhar no estacionamento rotativo, não de multar, por isso sempre aconselhamos para as pessoas que estiverem com dúvidas ou quiserem informações verídicas, busquem os órgãos oficiais. Além dos monitores, nós temos o escritório que fica na rua Ceará, 590, que está aberto 10 horas por dia para prestar qualquer esclarecimento, e pelo telefone (99)30728169. 

Como comprar o ticket?
Para comprar, basta o condutor ir a algum dos 60 pontos de vendas como já foi citado acima e fazer o pedido. Para a compra de ticket avulso, o condutor informa a placa e, para pagar o aviso de irregularidade, só basta informar o número do bilhete que toda transação será realizada pelos profissionais competentes. Além dos pontos, é disponibilizado o aplicativo DIGIPARE, que é permitido em Android e IOS, onde o condutor baixa, inclui a placa do veículo, podendo ser várias placas, e recarrega o saldo no valor que quiser. Lembrando que é necessário recarregar e ter saldo para poder utilizar o sistema.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...