MENU

31/12/2020 às 00h00min - Atualizada em 31/12/2020 às 00h00min

​Adauto Carvalho renuncia ao cargo de presidente do Imperatriz

Com ele, renunciou toda a diretoria, inclusive o vice-presidente, Wagner Aires, que havia assumido há poucos meses

Dema de Oliveira
Adauto Carvalho renunciou ao cargo de presidente do Imperatriz - Foto: Ananda Portilho
O presidente da Sociedade Imperatriz de Desportos (SID), Adauto Carvalho, convocou a imprensa na manhã de ontem para uma entrevista coletiva, e quando se pensava que iria informar boas novas para o clube, na verdade anunciou sua renúncia do cargo. Junto com ele, renunciou toda a diretoria, inclusive o vice-presidente, Wagner Aires, que havia assumido o cargo em substituição a Rodrigo Oliveira há poucos meses.

Entre outros problemas, Adauto Carvalho alegou que a gestão não possui mais condição financeira de permanecer à frente do time. Entre os problemas, a dívida contraída com o Fênix do Uruguai, que é em dólar e aumenta praticamente diariamente, e hoje está em torno de R$ 250 mil. Sem pagar essa dívida, o Imperatriz está engessado e não pode nem contratar, como também negociar qualquer jogador. 

Durante sua gestão, Adauto Carvalho conquistou um vice- campeonato (2018), um campeonato (2019) e o acesso à Série C. Entretanto, deixou o time rebaixado para a Série D e escrito o maior vexame do Colorado em todos os tempos, quando perdeu 17 dos 18 jogos disputados pelo Brasileirão Série C 2020. Levou 60 gols e marcou apenas 10, saldo negativo de 50.

O time corre o risco de ser extinto. Além disso tudo, a controversa transação com a empresa JB Sports, que todos sabem como terminou.

Adauto enumerou algumas vantagens que está deixando no clube, como um carro, doado pela CBF, e um valor que não foi informado, a receber do Partimonense de Portugal, pela venda do atacante Mateus João. Mas esse valor que o Imperatriz tem a receber é bem inferior ao que tem a pagar na transação idêntica que fez com o Fênix, no caso do meia Brenno.

Interino
O advogado Antonio Torres, presidente do Conselho Deliberativo do Imperatriz, assumiu interinamente, como determina o estatuto, a presidência do Cavalo de Aço. Torres já marcou uma reunião em caráter de urgência para o dia 4 de janeiro de 2021, com os Conselheiros, para que a situação de vacância do cargo seja resolvida o mais rápido possível. “O paciente não morreu. Ele está na UTI e temos que nos esforçar para salvá-lo. Nós vamos procurar dentro do Conselho, dentro do grupo de sócios colaboradores, dentro da sociedade, alguém que queira e se encaixe no estatuto, para que conduza o time nesse próximo ano”.

O Imperatriz tem pouco prazo para resolver os problemas, até o início do Campeonato Maranhense, marcado para o dia 14 de fevereiro. São exatos 45 dias.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...