MENU

25/12/2020 às 00h00min - Atualizada em 25/12/2020 às 00h00min

2020, VÁ PRAQUELE LUGAR

Phelippe Duarte
2020... um ano para ser lembrado ou esquecido? No túnel dos anos, 2020 será recebido pelos anos anteriores com tomates, ovadas e vaias. Sem nenhum receio ou vergonha na cara, 2020 entrará para o passado, como um rei, mas usando uma coroa de vírus. Um ano para ser lembrado? 

Sim. Lembrado pela luta, pela força que nem sabíamos que tínhamos. Lembrado pelas noites sem sono, sem saber se o Sol nos acordaria com um tapa quente ou um beijo de calor. Lembrado pelas vitórias no meio de tanta derrota, e às vezes, derrotas no meio de pequenas vitórias. Cada dia de 2020 a partir de março, um leão era vencido ou devorava o dia. Sua juba babada escorria medo, desespero. E a cada leão morto, nós saímos mais fortes, mais unidos. 2020 será o ano em que lembraremos como os profissionais da saúde honestos e verdadeiros, são essenciais para nossas vidas e como devem ser valorizados ao extremo, à máxima potência. Imagine um mar cheio de tubarões e sangue. E a única defesa entre você e os dentes famintos do peixe, é um médico. Imaginou? Exatamente. O médico é  f *&%$ . Portanto, é um ano que devemos lembrar da luta de todos que conseguiram sobreviver, de todos que conseguiram colocar comida em casa, mesmo com os empregos e as empresas fechadas por um período. Lembrar das bobagens que Bolsonaro disse, mas lembrar também, que da boca que saia lixo, saia também a ordem para dar o auxílio mensal, que salvou tantas famílias. Devemos lembrar que as coisas mais simples nos fizeram falta e nos foram tomadas sem pedirem licença. Uma ida ao supermercado, a escola dos nossos filhos, a pelada com os amigos, o trabalho com os colegas... lembrar que na solidão da convivência diária, a família dentro de casa é que dava esperanças, através do amor preso por paredes  e uma porta na sala que raramente abria. Lembrar de 2020? Sim. É respeitar em luto, 187 mil pessoas que perderam a luta para esse vírus covarde. 

Esquecer 2020? Não. A lição é que toda adversidade gera uma solução e um novo tipo de vida. Um novo normal, como chamaram. Diversas rendas modificadas com o intuito de apenas viver um dia de cada vez. E dessa modificação, nasceram vários estilos novos de vidas, seja no comércio ou em casa. Não podemos esquecer um ano que nos tomou muita coisa, mas ensinou como um professor exemplar. Esquecer que a covardia política não tem limites e que no meio de uma pandemia, a campanha politica deu de costas para o vírus e disse: até o covid vota! Podem ir as urnas! Usem máscara e um álcool em gel... mas votem! Votem... após as eleições, o covid voltou. Não tem como deixar de esquecer a canalhice desses caras. Uma corrupção contra a própria vida. 

Então, não vamos esquecer  2020 e os seus dias que nunca existiram e lembrar que em 2021, a luta não terminou. Pois sabemos que a qualquer momento, a natureza que nos dá o ar, pode também tirá-lo. Quando virou 2019 para 2020, pedimos paz, saúde e sucesso. Para 2021, peço exclusivamente, saúde para todos nós. Porque nunca foi tão claro e nítido, que realmente, o resto, nós corremos e podemos ir atrás, mas dessa vez, estaremos bem a frente. 2020, vá pro lugar do médico no mar de tubarões! 
 Deus abençoe nossas famílias, nossas casas, e nos dê sempre, o ar que respiramos. 

(                                                                                                 )   neste trecho que sempre encerro, palavras em branco, em silêncio, por respeito a quem partiu.
Phelippe Duarte - administrador e publicitário
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...