MENU

17/12/2020 às 00h00min - Atualizada em 17/12/2020 às 00h00min

Araguaína ganha primeira oficina ortopédica pública do Tocantins

A fábrica atenderá de forma gratuita, fornecendo próteses para pacientes em tratamento no Centro Especializado em Reabilitação (CER)

ASCOM - PMA/Felipe Maranhão
“A fábrica vai trabalhar em conjunto com o Centro Especializado em Reabilitação (CER) que atende diariamente uma média de 100 pacientes com tratamentos especializados” - Foto: Divulgação/Marcos Sandes/Ascom
Dando andamento a uma série de inaugurações neste mês de dezembro a Prefeitura de Araguaína entregou nesta terça-feira, 15, a Oficina Ortopédica de Araguaína. A unidade irá fabricar produtos ortopédicos, como próteses, órteses, palmilhas, entre outras adaptações, com o objetivo de devolver a autonomia para pessoas com deficiência. Os produtos serão feitos sob medida e fornecidos gratuitamente, de acordo com a necessidade de cada pessoa.

“A fábrica vai trabalhar em conjunto com o Centro Especializado em Reabilitação (CER) que atende diariamente uma média de 100 pacientes com tratamentos especializados. Com a chegada da oficina, nós poderemos fornecer próteses de graça para estas pessoas, melhorando a sua mobilidade e qualidade de vida”, destacou a secretária da saúde, Ana Paula Abadia.

O prédio foi construído ao lado do Centro de Reabilitação, entre os loteamentos Cidade Nova e Lago Azul e utilizou recursos do Ministério da Saúde, com a contrapartida do Município, se tornando a primeira oficina ortopédica pública do estado do Tocantins. A unidade vai integrar a Rede Estadual de Atenção à Pessoa com Deficiência e será administrada pelo Hospital do Amor, que também gerencia o CER.

Tecnologia de ponta
A oficina conta com salas de treinamento, salas de molde e próteses, sala de tapeçaria e costura. O processo de fabricação de próteses será realizado em parceria com a unidade do Hospital de Amor em Barretos-SP, utilizando equipamentos de ponta como o Robô Victor, o único do Brasil que atende pelo SUS e é responsável pelo molde com as medidas do paciente.

Depois de pronta, a prótese passa por aparelhos que fazem o alinhamento das peças em 3D, oferecendo uma prótese sob medida e alinhada de acordo com cada pessoa.

“Os técnicos realizam diversos testes nos pacientes até identificar as medidas e adaptações ideais para as necessidades de cada um, considerando o grau de capacidade funcional e suas principais características. Este tipo de processo é muito importante para potencializar o processo de reabilitação”, explicou Herculano Franco, gerente das Unidades de Reabilitação do Hospital de Amor.

CER
O atendimento no Centro de Reabilitação é feito após o encaminhamento do paciente que deve passar inicialmente por uma consulta médica em uma unidade básica de saúde. O centro tem 32 consultórios para diversos tipos de atendimentos, além de uma série de profissionais que vão desde neurologistas, a otorrinos e oftalmologistas. Além disso, a unidade conta com veículos adaptados para atendimento exclusivo dos pacientes.
 
Homenageado
O prédio da Oficina Ortopédica leva o nome de Paulo Prata, idealizador do Hospital de Amor que nasceu em Mirassol (SP), em 28 de janeiro de 1924. Formou-se em Medicina em 1949. Mais tarde, tornou-se diretor superintendente do Hospital São Judas Tadeu, na cidade de Barretos. Dadas as dificuldades dos pacientes com câncer se locomoverem para a capital, decidiu transformá-lo em hospital utilitário, assim nasceu o Hospital de Câncer de Barretos.

Com a grande demanda de pacientes, Dr. Paulo sentiu a necessidade de construir um novo prédio. A partir daí, dedicou-se a rascunhar a planta de um novo hospital, sonho que foi realizado por seu filho Henrique, em 1991, com a ajuda de pecuaristas e mais tarde ampliado com a ajuda da comunidade, artistas, iniciativa privada e participação financeira governamental. Faleceu em 14 de maio de 1997, aos 73 anos, vítima de infarto.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...