MENU

11/12/2020 às 00h00min - Atualizada em 11/12/2020 às 00h00min

Recomeço, essa é a palavra chave no Imperatriz

Adauto, na foto com o treinador Charles Guerreiro e o presidente do Conselho Deliberativo, Antonio Torres

Dema de Oliveira
Foto: Divulgação/Assessoria/SID
Em um ano para ser esquecido, a palavra recomeço é a principal chave no Imperatriz, depois da desastrosa campanha na Série C de 2020, em que o time Colorado em 18 jogos, não venceu nenhum, conquistou apenas 1 ponto, no empate com o Remo, além de ter levado 60 gols e feito apenas 10. O pior saldo de gols desde que o Campeonato Brasileiro Série C, começou a ser disputado, fato ocorrido em 1981. Entretanto, com pontos corridos e na atual forma de disputa, com apenas 20 clubes e com formação de grupos, começou em 2009, quando também foi criada a Série D.

Mas o início do recomeço, passa por alguns problemas, como a incógnita de como vai ficar a diretoria e principalmente no que se refere a dívida do clube com o Fênix do Uruguai, que o impede de contratar e regularizar jogadores. O Imperatriz, devido a esse débito, hoje no montante de R$ 250 mil, mas que pode aumentar a cada dia porque a dívida é em dólar, está proibido pela FIFA de realizar contratações.

O recomeço do Imperatriz para 2021, ano que vai disputar o Campeonato Maranhense e a Série D, vai iniciar do fundo do poço, para onde o time foi esse ano. No momento, o único patrimônio do Imperatriz são as camisas, calções e meiões. Mesmo porque o que se chama ‘Shopping do Cavalo’, não pertence ao clube, mas à família do presidente. E não se sabe se o Imperatriz tinha algum lucro nas vendas dos produtos. Tem um carro doado pela Confederação Brasileira de (CBF), que segundo informações, não pode ser alvo de algum sorteio, ou coisa semelhante para angariar algum dinheiro, antes de um ano. 

Sem praticamente uma diretoria, quem está respondendo atualmente pela direção do clube é o vice-presidente, o médico Wagner Aires. “Estamos em primeiro lugar buscando resolver a situação que nos impede de registrar novos jogadores, que no caso, é a pendência com a qual todos já sabem que temos na FIFA. Infelizmente não avançamos nessas tratativas ainda. Mas estamos buscando apoio da CBF para intermediar a situação, para que possamos ter condições de arcar com a despesa. Portanto, não tem como pensar em montar elenco, sem poder futuramente em inscrevê-los. Resolvida a situação, podemos nos concentrar em iniciar nosso planejamento para 2021”, disse Dr. Wagner Aires.

Dr. Wagner está falando em pedir ajuda a CBF para ajudar na solução do problema com a FIFA, porque já fez esse pedido à FMF, que negou ajuda. O vice-presidente espera que tudo seja resolvido até o fim desse mês. No que se refere ao presidente Adauto Carvalho, praticamente abandonou o clube e ainda não deu qualquer satisfação à torcida, à imprensa e ao povo de Imperatriz.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...