MENU

09/12/2020 às 00h00min - Atualizada em 09/12/2020 às 00h00min

Dicas para quem tem interesse de investir em pecuária de corte

A primeira dica para os interessados em investir na cadeia produtiva da carne bovina é entender esta nova dinâmica e considerar no planejamento estratégico esta nova contabilidade

Fábio Ramos / CNA
Foto: Divulgação / CNA
Os investimentos na cadeia da pecuária de corte estão, cada vez mais, integrados ao sistema financeiro e por sua vez internalizou os valores ambientais na contabilidade das atividades agropecuária e agroindustrial. Esta nova dinâmica que predomina no setor financeiro, nos países desenvolvidos, incorpora os valores relativos a emissões e remoções de carbono e consequentemente nos gases de efeito estufa.

A primeira dica para os interessados em investir na cadeia produtiva da carne bovina é entender esta nova dinâmica e considerar no planejamento estratégico esta nova contabilidade. Isto representa que os valores ambientais são incorporados na cadeia de valor que inclui da produção de insumos até o consumidor final.

A pecuária de corte é presente em todas as regiões do Brasil. Em todas as partes temos rebanhos de corte com diferentes características, potencial e resultados. Estas diferenças são explicáveis pela aptidão e vocação de cada região e os modelos de rebanhos de corte estabelecidos, ou seja, existem regiões com potencial produtivo superior a outras e de acordo com os objetivos de produção, as raças e tipos de animais utilizados e o nível tecnológico encontramos vários resultados.

A segunda dica seria uma análise sobre a região e microrregião a ser implantado o projeto assim como a propriedade. Recomenda-se a elaboração de um diagnóstico agroambiental da propriedade e respectivas análises de viabilidade técnica e econômica os sistemas de produção possíveis.

A pecuária de corte possui diferentes sistemas de produção. Existem sistemas de produção em rebanhos de cria que o objetivo é a produção de bezerros e bezerras e a venda destes como principal fonte de renda. Outros sistemas podem incluir todos os ciclos, de cria, recria e engorda, nestes casos é importante considerar a dimensão das áreas de produção e um planejamento para a evolução do rebanho estar compatível com a capacidade de suporte das pastagens da propriedade. Estes modelos são considerados como investimentos no capital imobilizado, os ganhos no valor do rebanho são consideráveis quando os níveis tecnológicos, principalmente os índices zootécnicos reprodutivos, estão acima da média como por exemplo taxas de natalidade acima de 80 %.

Um dos sistemas mais usuais no Brasil é a compra e venda de animais, representa o sistema de recria e engorda de animais. Este modelo representa um giro de capital mais rápido e permite ganhos nas operações de compra e venda. O resultado deste sistema depende de alguns fatores como conhecer o mercado de animais, ter propriedades que permitam o ganho de peso aos animais, ou seja, é necessário que o manejo sanitário e nutricional atenda as necessidades nutricionais dos animais.

A decisão sobre o modelo do sistema de produção deve considerar os aspectos, além da aptidão e vocação das terras, do mercado regional e o fluxo de comercialização de animais. Algumas regiões possuem amplo mercado para a pecuária de corte, além de compra e venda de animais nas diferentes categorias, possuem parques agroindustriais de abate, processamento e frigorifico para atender a ampla oferta de animais para abate.

Uma dica importante é desenvolver um projeto com bases nas premissas verdadeiras da atividade de pecuária de corte, ou seja, considerar que é uma atividade de médio e longo prazo de obter resultados e esta diretamente relacionado ao nível de tecnologia que será adotado e ao desempenho de uma mão de obra capacidade para gerar resultados técnicos e consequente resultados econômicos.Além disto considerar os serviços ambientais como parte integrante do projeto, tanto no atendimento da legislação ambiental como na conservação dos recursos naturais como a água, fator fundamental para o sistema de produção da pecuária de corte.

Os modelos de produção da pecuária de corte que incorporem os serviços ambientais serão beneficiados pelo valor na redução das emissões dos gases de efeito estufa, não esquecer que o mercado financeiro tem este critério para viabilização do acesso de investidores aos recursos financeiros.

A dica para o sucesso da atividade também deve considerar que a difusão e o fomento das Boas Práticas ambientais e produtivas junto asistemas de pecuária é uma ação direta para o desenvolvimento de um modelo de produção integrado a conservação dos recursos naturais com um manejo adequado dos solos e da água. Dentro destas ações, a recuperação de pastagens degradadas e a implantação de boas práticas para um novo manejo dos pastos, como os sistemas silvipastoris, são ações prioritárias para alcançar as metas de redução de emissões dos gases de efeito estufa.

Alternativas de modelos de sistemas integrados:

Integração Reflorestamento e pecuária; Silvipastoril comercial; Integração floresta nativa e pecuária; Silvipastoril natural; Integração lavoura-pecuária-floresta; Integração lavoura-pecuária; Sistemas agroflorestais, SAFs; agricultura regenerativa. 

Todos preconizam a presença do elemento arbóreo integrado aos sistemas de produção animal, tendo em vista seus benefícios ambientais e produtivos em relação ao sistema de produção convencional.

O conceito prevê a capacitação dos produtores rurais da região com fortalecimento das redes de cooperação com objetivo de formar contribuir com o processo de transição para o uso do solo mais sustentável e para a redução dos gases de efeito estufa. (Fonte: CNA)

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...