MENU

05/12/2020 às 16h42min - Atualizada em 05/12/2020 às 16h42min

GP Brasil marca volta às competições da elite nacional

Sem público, competição acontece na nova pista do Centro Olímpico em São Paulo com transmissão online. Vão participar 153 atletas de 17 países, sendo 107 brasileiros.

Juliano Justo - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional
Agência Brasil
Reabertura da janela para índices olímpicos também valoriza evento - Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br
 

Neste domingo (06), o Grande Prêmio Brasil de Atletismo, válido pelo World Athletics Continental Tour Silver, vai ser realizado em São Paulo a partir das 13h30, na nova pista do estádio do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa. Participarão do evento 107 integrantes da elite do atletismo verde e amarelo e 46 atletas estrangeiros.   

Na manhã deste sábado, três atrações do GP concederam entrevista coletiva virtual. Um dos atletas que falou com os jornalista foi o catarinense Darlan Romani, já classificado para os Jogos Olímpicos de Tóquio. Recordista sul-americano do arremesso do peso teve excelentes resultados em 2019, como os títulos pan-americano e do mundial militar, além do quarto lugar no mundial. “Foi uma temporada totalmente atípica em 2020. Tivemos de improvisar muito para manter a forma. Construí um setor de arremesso ao lado da minha casa e consegui equipamentos de musculação emprestados. No GP quero um bom resultado, apesar de todos os problemas. O objetivo, claro, está voltado para os Jogos de Tóquio", disse o quarto colocado no Ranking Mundial de 2019, com a marca de 22,61m, obtida na vitória no Steve Prefontaine Classic, em Stanford, nos Estados Unidos.

<img -="" 2020.="" a="" alt="" center="sim" class="meta" darlan="" de="" disse="" div="" em="" foi="" improvisar="" longdesc="“Foi uma temporada totalmente atípica em 2020. Tivemos de improvisar muito para manter a forma" ,="" romani.="" abelardo="" mendes="" jr="" rededoesporte.gov.br"="" manter="" muito="" para="" pica="" data-cke-saved-src="https://imagens.ebc.com.br/y_I_I3je05f4uELRvPatBSUD6n4=/754x0/smart/https://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/default/files/thumbnails/image/gp_brasil_darlan_romani.jpg?itok=BI3Ppt_w" src="https://imagens.ebc.com.br/y_I_I3je05f4uELRvPatBSUD6n4=/754x0/smart/https://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/default/files/thumbnails/image/gp_brasil_darlan_romani.jpg?itok=BI3Ppt_w" strong="" style="width: 640px; height: 427px;" temporada="" title="Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br" tivemos="" totalmente="" uma="">

Os velocistas Paulo André Camilo de Oliveira e Vitória Cristina Rosa também conversaram com jornalistas sobre a expectativa de competir neste domingo, no primeiro meeting internacional dos três no difícil ano de 2020. Paulo André improvisou os treinos em Vila Velha, no Espírito Santo, onde mora. O GP marca a estreia em 2020 do integrante da equipe brasileira campeã mundial do 4x100 no torneio específico de revezamentos em 2019. “Não estou na melhor forma, mas tenho velocidade guardada em mim. De repente posso surpreender. Fiz um pedido especial para o meu treinador (o pai, Carlos Camilo) para participar do evento. Estou sentindo falta da adrenalina e do clima de competição”, disse. “Acordo todo o dia com o sonho de ser campeão olímpico, de ser recordista mundial. Sempre almejo um grande objetivo. Se vou ser, não sei, mas treino para isso”, comentou o paulista de 22 anos.

Já Vitória Rosa, campeã sul-americana dos 100m e dos 200m e dona de três medalhas nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019 (um ouro e duas pratas), competiu na quarta-feira (2) no Torneio de Atletismo Paulista, em Campinas, obtendo 11seg31 na semifinal (venceu a prova, com 11seg34). “Estou me sentindo bem e quero correr melhor no GP e no Troféu Brasil”, disse referindo-se a competição marcada para o período de 10 a 13 de dezembro, também no Centro Olímpico. “O Nakaya (o treinador Katsuhico Nakaya) sempre me diz que a possibilidade de correr abaixo dos 11 segundos está nas minhas pernas. Quero correr abaixo também dos 22.50 nos 200 m, quer considero a minha melhor prova e chegar à final olímpica”, complementou.

Vitória Rosa, campeã sul-americana dos 100m e dos 200m se disse pronta para o GP. - Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

Entre outras atrações, Augusto Dutra, campeão sul-americano do salto com vara, Rodrigo Nascimento (100m), Altobeli Santos da Silva (3.000m com obstáculos), Rosangela Santos (100m), Keila Costa (salto em distância) e Núbia Soares (salto triplo) também estarão no GP.

Entre as estrangeiras, chamam a atenção a equatoriana Angela Tenório (ex-recordista sul-americana dos 100m, com 10.99), a norte-americana Evonne Britton (12.78 nos 100m com barreiras), as colombianas Yennifer Padilla (ouro nos 400m no Pan de Guadalajara) e Valeria Cabezas Caracas (ouro nos 400m com barreiras nos Jogos Olímpicos da Juventude, em Buenos Aires), a queniana Roseline Chpkurui (tem 9:08:23 nos 3.000m com obstáculos), a cubana Liuba Maria Zaldivar (desde o ano passado compete pelo Equador e tem o recorde pessoal de 14,51m), e a portuguesa Auriol Dongno (arremessou 19,53m este ano no peso).

No masculino, destacam-se o turco Emre Zafer Barnes (10.08 nos 100m), o colombiano Fanor Escobar (13.56 nos 110m com barreiras), o queniano Wilberforce Kones (8:22:55 nos 3.000m com obstáculos), o argentino Germán Chiaraviglio (5,75m no salto com vara) e o chileno Daniel Piñeda (8,08m no distância), também entre outros.

Sem a presença de público, por causa das limitações impostas pela pandemia de covid19, o GP terá 21 provas no programa (11 no masculino e 10 no feminino). A reabertura da janela para a obtenção dos índices para os Jogos Olímpicos de Tóquio no dia 1º de dezembro aumenta ainda mais a importância do evento. As disputas serão transmitidas ao vivo no Canal Atletismo.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...