MENU

05/12/2020 às 00h00min - Atualizada em 05/12/2020 às 00h00min

Não há intenção da Prefeitura em desmobilizar leitos de Covid-19 em Imperatriz

Maria Almeida - Ascom
Atendimentos seguem normalmente na Rede Pública de Saúde do Município - Foto: Assessoria
Até o momento não há nenhuma intenção ou decisão da Prefeitura de Imperatriz no sentido de fechar o Hospital de Campanha. A recomendação do Ministério Público exigindo que autoridades não desmobilizem leitos de UTI para tratamento da Covid-19 sem elaboração de um plano, é apenas preventiva, e nada tem a ver com qualquer medida anunciada pela Prefeitura.

“Não temos nenhuma intenção de parar com as atividades de nenhum dos nossos dispositivos de tratamento da Covid-19, mantidos pelo município. Até o momento não foi cogitado o fechamento nem do Hospital de Campanha que atende com 49 leitos de enfermaria e 10 de Terapia Intensiva, UTI; nem das unidades ambulatoriais – UBS´s Vila Nova e Milton Lopes. Sem contar que continuamos atendendo casos suspeitos também na UPA São José” – explica a secretária de Saúde, Mariana Jales.

Ela ressalta que a intenção do prefeito Assis Ramos é fechar a unidade somente quando tiver vacina disponível em Imperatriz. “No entanto, se houver necessidade, poderemos fechar antes, por não se tratar de uma unidade permanente, mas se isso for preciso, seguiremos todas as recomendações necessárias, de forma que nenhum usuário da saúde pública fique desassistido” – garante a secretária.  

De acordo com o boletim diário de atendimento do Hospital de Campanha, divulgado na manhã desta sexta-feira, 04 de dezembro, a taxa de ocupação das enfermarias é de 14,28%: Sete pacientes internados, sendo quatro de Imperatriz e três das cidades de Ribamar Fiquene, Grajaú e Sitio Novo – MA. Já na UTI a taxa é de 40%, ou seja, quatro pacientes internados: um de Imperatriz, um de Porto Franco, um de Buriticupu e outro de Carolina.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...