MENU

01/12/2020 às 00h00min - Atualizada em 01/12/2020 às 00h00min

Charles Guerreiro diz que o grupo chegou ao seu limite

Charles Guerreiro, além de tudo é um conciliador

Dema de Oliveira
Foto: Vagner Grigório/Coluna do Futebol
Depois do jogo contra o Ferroviário, o último fora de casa da temporada, o técnico Charles Guerreiro falou sobre a partida e sobre os jogadores que, segundo ele, estão no limite.

 “O grupo está no limite, os atletas estão no limite, não estão aguentando mais. Entramos em campo com onze jogadores e tivemos de permanecer, em um universo de cinco substituições, porque não temos peças de reposição”, desabafou Guerreiro.

Charles Guerreiro disse que vem tentando, mas não tem como suportar, já que não tem como substituir. “A situação é difícil, não esperávamos perder e muito menos com esse placar elástico, mas infelizmente aconteceu. Temos ainda um jogo contra o Manaus e esperamos fechar com uma vitória”, reiterou.

Essa questão da falta de reposição de peças, foi devido a transação que envolveu o meia Brenno, entre Imperatriz e o Fenix do Uruguai. Uma ideia ‘brilhante’ do antigo diretor de futebol, que gerou uma dívida de R$ 224 mil, aliás mais uma para o Imperatriz. Como a diretoria comandada por Adauto Carvalho não pagou, o Imperatriz foi denunciado à FIFA pelo Fênix. Na verdade, o Imperatriz entrou nessa por falta de experiência, e o ex-diretor foi enrolado pelo empresário desse Brenno, que passou apenas alguns dias no Imperatriz, se negou a voltar depois da retomada do futebol. Além de dar prejuízo, ainda foi covarde em deixar o Imperatriz na mão. Mesmo com a mediocridade do seu futebol, foi menos um. Por conta da falta de pagamento da dívida, o Imperatriz está proibido de contratar e em consequência regularizar jogadores. E, além disso, saíram vários jogadores que tinham contrato ainda por vencer e a diretoria também se acovardou, quando não exigiu que eles cumprissem na íntegra os seus contratos.

E essa questão de não poder contratar vai certamente prejudicar o time para a temporada de 2021. O Imperatriz vai disputar o Campeonato Maranhense e a Série D. Não adianta ‘brigar’ pela Copa do Brasil, se o time quase que não consegue terminar a C e por pouco não comete W x 0, que seria o fim. A diretoria tem obrigação de resolver essa pendenga do caso Brenno, para entregar o time para começar 2021 em condições para que possa ser feito um planejamento.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...