MENU

OPROGRESSONET Publicidade 1200x90
OPROGRESSONET Publicidade 728x90
19/01/2023 às 17h34min - Atualizada em 19/01/2023 às 17h34min

Colégio Santa Luzia implementa Novo Ensino Médio e promove prática de Investigação Forense

Da Assessoria
Imprensa/CSL
Fotos: Divulgação/CSL
 
Em 2022 o Colégio Santa Luzia (CSL), seguindo a Lei nº 13.415/2017, que alterou a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, implementou o Novo Ensino Médio. Essa abordagem busca proporcionar a formação integral do estudante, alinhando competências socioemocionais e cognitivas. A proposta, mediada pelos professores e gestores escolares, envolve o aluno em situações de ensino e aprendizagem pautadas na resolução de problemas relevantes ao cotidiano.

Com a reforma, houve aumento na carga horária total no percurso formativo dos três anos, passando de 2.400 horas para 3 mil horas. Os componentes curriculares estão agregados às quatro áreas do conhecimento, que são: Matemáticas e suas Tecnologias; Linguagens e suas Tecnologias; Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e Sociais Aplicadas; correspondendo a 60% da jornada, de caráter obrigatório. Os demais 40% são compostos pelos itinerários que são o conjunto de disciplinas, projetos, oficinas, núcleos de estudo, entre outras situações de trabalho, que os estudantes podem escolher.

Durante o ano letivo, o CSL ofertou aos alunos da 1ª série do Ensino Médio, oito Trilhas Específicas semestrais, seguindo os percursos de aprendizagem disponibilizados pelo Sistema SAS Educação. Organizados por áreas de conhecimento são quatro eixos estruturantes definidos nos Referenciais Curriculares para a elaboração de itinerários formativos. 

A trilha Investigação Forense: “Onde está a evidência?” foi a escolhida pelos alunos no segundo semestre. Por meio do raciocínio científico e do pensamento crítico, os estudantes ponderaram sobre o uso de princípios científicos, além de aprender sobre ferramentas forenses, recursos técnicos, formulação e teste de hipóteses, coleta de dados adequada e conclusões responsáveis.

Para a aula de encerramento da disciplina, a Profa. Dra. Shirley Feuerstein organizou uma atividade prática, levando para o ambiente escolar a criação de uma simulação da cena de um crime, com a direção do Prof. Pablo Alcântara, do Instituto de Criminalística, ICRIM - MA. Durante a aula, foi estimulado a observação, a coleta, a análise e a avaliação de evidências.

De acordo com o Prof. Pablo Alcântara, trabalhar a investigação forense no Ensino Médio é muito proveitoso, pois ajuda na assimilação de conceitos das ciências da natureza, como biologia e física, e de matemática. “Essa disciplina é essencial para aproximar os estudantes a conteúdos como seno, cosseno, ângulo, entre outros que, às vezes, podem parecer muito abstratos”.

Ubiracy Campos, coordenador pedagógico das turmas do Ensino Médio, afirmou a relevância dos itinerários formativos. “Essa inovação permitirá que os alunos aprofundem suas aprendizagens, promovendo o desenvolvimento de habilidades que ampliam suas visões de mundo”.

Importante ressaltar que a atividade de encerramento da disciplina não ofereceu nenhum risco físico ou biológico aos participantes, que utilizaram obrigatoriamente todos os equipamentos de proteção individual, EPIs, e com prévia autorização dos responsáveis dos alunos. 

Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90