MENU

OPROGRESSONET Publicidade 1200x90
OPROGRESSONET Publicidade 728x90
08/12/2022 às 17h11min - Atualizada em 08/12/2022 às 17h11min

Garantia dos direitos das crianças e adolescentes é discutido em Conferência

Evento é encabeçado pela Sedes e propõe implementar ações já contidas nos planos municipais

Regilson Borges
Ascom
Participam representantes dos conselhos municipais e sociedade civil - Foto: Ivan Filho
 
Um encontro marcado pelo diálogo, na busca da promoção dos direitos da Criança e do Adolescente no período de pandemia. Foi assim no último dia 07 de dezembro, que a XII Conferência Municipal do Direito da Criança e do Adolescente, aconteceu no auditório da Universidade Aberta do Brasil (UAB), em Imperatriz.

O evento é uma promoção da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), em parceria com outras entidades e a sociedade civil. Esse espaço de diálogo é importante para avaliar as políticas e ações de proteção, defesa e controlo social dos direitos humanos e das crianças e adolescentes no período da pandemia da Covid-19. 

O secretário de Desenvolvimento Social (Sedes), Dorielton Xavier, fala do compromisso da Prefeitura de Imperatriz, e principalmente por determinação do prefeito Assis Ramos, em apoiar essas iniciativas. “Nós trabalhamos todos os dias para que as políticas públicas sejam implementadas em nossa cidade, inclusive no diz respeito as crianças e adolescentes”.

Articuladora do Selo Unicef, Mikaelly Santos, aborda como a Conferência contribui para os trabalhos do Selo na cidade. “A conferência é muito importante para o Selo Unicef. E nós conseguimos expor o plano municipal passado há anos. Um trata da política pública da primeira infância e outro plano de ação voltada para a garantia de direito da criança e do adolescente”, comenta.

A presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA), Inês de Jesus, também participou das discussões da Conferência. “É de grande importância que estejamos aqui para discutir a situação das crianças e adolescentes pós-pandemia. A gente precisa rever o que aconteceu com essas crianças que ficaram órfãs durante a pandemia, para que políticas públicas sejam fortalecidas no intuito de que a vida dessas crianças seja pela e de qualidade”.

Represente em vários conselhos do município, a procuradora Regina Célia Lopes também fala sobre a importância de se discutir a garantia de direitos. “A Prefeitura de Imperatriz vê essas conferências de suma importância, até porque elas mostram a nossa cidade, as pessoas vulneráveis, tira da invisibilidade todas as pessoas que aqui são tratadas. É uma garantia de direitos e de direitos humanos”, diz.

Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90