MENU

OPROGRESSONET Publicidade 728x90
07/12/2022 às 18h10min - Atualizada em 07/12/2022 às 18h10min

Baldez recebe homenagem na festa dos 25 anos de São Luís como Patrimônio Mundial da Humanidade

O presidente da FIEMA recebeu o tributo em reconhecimento ao incentivo e parceria na conquista do título para a capital maranhense

Imorensa/FIEMA
Edilson Baldez recebe homenagem do Prefeito Eduardo Braide, em reconhecimento ao incentivo e parceria na conquista e manutenção do título de Patrimônio da Humanidade - Foto: Divulgação
 
São Luís – Em noite comemorativa, o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão, Edilson Baldez, prestigiou a celebração dos 25 anos do reconhecimento de São Luís como Patrimônio Mundial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Na oportunidade, no Teatro da Cidade, nesta terça-feira (06/12), Baldez foi homenageado em reconhecimento ao incentivo e parceria na conquista e manutenção do título para a capital maranhense. 

“O nosso Centro Histórico é um testemunho de tradição cultural. Aqui temos um conjunto arquitetônico de valor imensurável. 

A FIEMA esteve e está empenhada na preservação desse patrimônio que é de todos nós e todos nós devemos cuidar dessa cidade que nos acolhe, do nosso pedaço de chão. Recebo a homenagem com alegria e gratidão e parabenizo a todos os envolvidos, desejando que sigamos firmes para manter as características que garantiram o título à nossa São Luís”, declarou Edilson Baldez. 

O prefeito de São Luís, Eduardo Braide, anunciou em primeira mão o investimento na ordem de R$ 44 milhões na construção do Complexo do Trapiche Santo Ângelo, um projeto que faz parte do Programa Resgatando História. Além disso, revelou que a capital maranhense vai ganhar o Museu do Azulejo na Rua Portugal, o primeiro do Brasil. O prefeito entregou a honraria aos homenageados da noite e enfatizou a importância da FIEMA na preservação de São Luís como Patrimônio Histórico.  

“É uma felicidade de estar prefeito nesse momento. E ressalto que esse título não foi conquistado só por uma pessoa. Nós tivemos diversos parceiros, diversas pessoas que se envolveram para que São Luís, há vinte e cinco anos atrás, recebesse esse título tão importante. E hoje eu quero destacar aqui, a parceria da FIEMA que é fundamental em diversas ações que o município realiza, principalmente ações de restauração e de conservação do nosso centro histórico. Portanto, fica aqui a nossa gratidão a toda FIEMA, a todo o sistema S”, enfatizou Braide. 

A celebração foi marcada por uma ampla programação, como a apresentação da linha do tempo, que contou como se deu o processo de titulação de São Luís. Durante o evento, a ex-presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e presidente da Fundação Municipal do Patrimônio Histórico (FUMPH), Katia Bogéa, fez menção honrosa a Edilson Baldez pela aquisição de exemplares, por meio do SESI-MA, do livro “Patrimônios do Brasil” que presenteou os convidados da noite. 

“Fizemos uma retrospectiva histórica para mostrar que tudo começou em 1966. Foi um resgate desse processo em que mostramos os personagens que se dedicaram intensamente na defesa do nosso Centro Histórico e estou muito feliz porque a nossa bela São Luís alcançou os critérios exigidos pela UNESCO que a declarou como o valor universal excepcional. Agradeço a Edilson Baldez que realizou a compra dos livros para que distribuíssemos a todos aqui presentes”, disse em tom festivo, Katia Bogéa. 

 

A Cidade dos Azulejos

Em 06 de dezembro de 1997, o Centro Histórico de São Luís foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO por ancorar o uma tradição cultural diversificada, além de constituir um excepcional exemplo de cidade colonial portuguesa, com traçado preservado e conjunto arquitetônico representativo.  

Por se tratar de uma cidade histórica viva, pela sua própria natureza de capital, São Luís se expandiu, preservando a malha urbana do século XVII e seu conjunto arquitetônico original.  Em toda a cidade, são cerca de quatro mil imóveis tombados: solares, sobrados, casas térreas e edificações com até quatro pavimentos.  

Características únicas, que lhe conferem valor universal excepcional e o faz integrar um seleto grupo de sítios reconhecidos em todo o globo, em conformidade com a Convenção do Patrimônio Mundial, que este ano completa 50 anos. Os azulejos e os casarões são alguns dos traços mais simbólicos e únicos do sítio, sendo um dos maiores e mais preservados conjuntos arquitetônicos de origem portuguesa na América Latina. 

O Sistema FIEMA em parceria com a Prefeitura de São Luís, vem realizando uma série de ações voltadas para a preservação do Centro Histórico desde 2015, como o projeto Canteiro Escola. O acervo de casarões de São Luís recebeu requalificações ao longo dos anos para ganhar finalidade econômica e atrair ainda mais turistas para a capital maranhense.  

Em março deste ano a FIEMA recebeu um imóvel do Programa Adote um Casarão, do Governo do Estado, onde funcionará o Centro Tecnológico e Cultural da Indústria do SESI, localizado na Praça João Lisboa, 328, antes a Junta Comercial do Maranhão (Jucema). O casarão foi revitalizado pelo SESI-MA, mais uma iniciativa que conta para a preservação do Patrimônio da cidade.  

Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90