MENU

OPROGRESSONET Publicidade 728x90
29/11/2022 às 17h03min - Atualizada em 30/11/2022 às 00h06min

Encefalomielite Aviária: doença pouco lembrada, que pode causar grandes prejuízos

SALA DA NOTÍCIA
Beatriz Priscila Pedrini
Foto: Divulgação

"Os desafios nas granjas nem sempre são totalmente conhecidos pelos avicultores. Para a melhor proteção das aves, o conhecimento é a primeira etapa da prevenção e garantia do status sanitário", alerta Gabriel Silva Braga, médico veterinário da Auster Nutrição Animal. Como exemplo, Braga cita a Encefalomielite Aviária (EA), doença causada por um Enterovírus pertencente a família Picornaviridaeque na maioria dos casos se manifesta de duas formas: em aves jovens causa doença clínica e em aves adultas provoca queda de postura.

Os principais sintomas em aves jovens são os tremores (Tremor Epidêmico, nome recebido no passado). A doença também provoca morte de embriões e de pintinhos com dois ou três dias de vida. "Os sinais clínicos visíveis da EA envolvem sonolência, fraqueza, falta de coordenação motora progressiva, paralisia e tremores intermitentes, principalmente na cabeça e pescoço", informa o especialista. Gabriel Braga reforça que não há tratamento para a doença e algumas aves podem ficar com sequelas como paralisia, encurvamento de perna e falange e alteração nos olhos, como cegueira, olhos turvos e azulados.

Já em aves em produção, a doença leva à queda de postura, que pode durar de 3 a 4 semanas. "Essa é a fase de maior atenção e que em grande parte dos casos não é sequer investigada. Dessa forma, o diagnóstico acaba sendo tardio e com maiores chances de prejuízos", afirma o especialista da Auster.

A Encefalomielite Aviária é considerada uma enfermidade controlada e há poucos relatos de sua presença em granjas brasileiras, devido à própria evolução da indústria avícola e dos protocolos de vacinação, que possibilitam efetivo controle da patologia. Por conta disso, é pouco considerada na hora do diagnóstico e prevenção. No entanto, tem grande potencial para gerar perdas econômicas.

Para prevenção, Braga recomenda "entender o caminho do vírus causador da EA, seus rastros e manifestações. Assim passamos a considerar as ferramentas de identificação, prevenção e controle", reforça.

Além disso, ele aconselha os produtores a ter preocupação especial com a nutrição das aves, "pois a infecção é via oral e o vírus se multiplica no intestino das aves". 

Como ferramenta de proteção das aves contra a Encefalomielite Aviária, a Auster Nutrição Animal destaca as Linhas Numia Postura Cria e Numia Postura, que contribuem com ótimos níveis nutricionais a partir do 1º dia de vida da ave até o final da produção, oferecendo níveis minerais, vitamínicos, enzimáticos e aditivos que proporcionam excelente saúde intestinal e criam uma consistente barreira de proteção intestinal.

Gabriel Braga recomenda atenção à qualidade das aves que entram nas granjas, assim como ao processo de vacinação, higienização e dieta oferecida. "As necessidades nutricionais têm papel essencial para o alto desempenho, assim como o correto manejo. Conhecimento também é prevenção", complementa o técnico da Auster.


Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90