MENU

OPROGRESSONET Publicidade 728x90
27/11/2022 às 12h01min - Atualizada em 27/11/2022 às 12h01min

O adeus a Erasmo Carlos

Memória / Grammy Latino 2022

Da Redação
GB Edições
Erasmo Carlos, o Tremendão, tinha 81 anos e fez história na Jovem Guarda. O artista faleceu na última terça-feira / Foto: GB Imagem
  
Na última terça-feira, dia 22, o Brasil recebeu a triste notícia da morte de Erasmo Carlos. O Tremendão tinha 81 anos e fez história na Jovem Guarda. Recentemente, no dia 17 de novembro, o cantor e compositor foi premiado na cerimônia do Grammy Latino 2022, que aconteceu em Las Vegas, nos Estados Unidos, na categoria “Melhor Álbum de Rock ou de Música Alternativa em Língua Portuguesa”. O astro representou mais uma vez o Brasil e levou a estatueta pelo seu último disco “O Futuro Pertence À… Jovem Guarda”, lançado em fevereiro pela Som Livre. Erasmo Carlos coleciona seis indicações ao Grammy Latino e três estatuetas.

À época o Tremendão não pôde comparecer à cerimônia, mas a alegria com a notícia do prêmio foi celebrada com muita animação: “É tão importante entender o conceito quanto ouvir a música… existem várias formas de amor, e eu preciso de todas. Obrigado a todos que contribuíram para mais essa vitória, esse Grammy é o reconhecimento do nosso trabalho. ‘O Futuro Pertence à Jovem Guarda!!!!!!’”, declarou Erasmo.

O disco vencedor é um projeto de rock contemporâneo com releituras de clássicos da Jovem Guarda reunindo oito faixas, as quais Erasmo nunca havia gravado anteriormente. Projeto idealizado e coordenado por Léo Esteves, que de cara “convocou" Marcus Preto para a direção artística e Pupillo para a produção musical, para trazer a pressão sonora para hits gravados na década de 60 e que marcaram o cancioneiro nacional. Por parte da Som Livre, Humberto “Gregg” Bordallo e João Cantanhede embarcaram imediatamente neste sonho e acreditaram que aquele projeto de regravações com o maior roqueiro brasileiro, tinha tudo para ser um sucesso. “O Futuro Pertence À… Jovem Guarda” também ganhou uma turnê nacional com sucesso de público passando por vários Estados brasileiros.

Erasmo concorreu nesta edição do Grammy Latino com os trabalhos “Qvvjfa?”, de Baco Exu Do Blues, “Sobre Viver”, de Criolo, “Memórias (De Onde Eu Nunca Fui)” do Lagum e “Delta Estácio Blues”, de Juçara Marçal.

Com 81 anos, completados em 05 de junho, foram 34 discos lançados (estúdio e ao vivo), sendo o primeiro em 1965 e o último em 2022, e consagrado como um dos maiores nomes da história da música brasileira, Erasmo Carlos colecionou seis indicações ao Grammy Latino, do qual venceu três: na categoria Melhor Álbum De Rock Ou Música Alternativa Em Língua Portuguesa com os discos “O Futuro Pertence À… Jovem Guarda” (2022) e “Gigante Gentil” (2014), e em 2018, quando recebeu o Prêmio Excelência Musical da academia latina.

Artista em permanente ebulição, efervescente, inspirado, há 60 anos o Tremendão embalou gerações com suas canções. São mais de 500 composições que refletem, da ingenuidade da Jovem Guarda e sua doce proposta de mudanças comportamentais, à maturidade dos dias atuais, alçando Erasmo ao posto de Gigante Gentil da música brasileira. Além dos Grammys Latinos, Erasmo colecionou outras inúmeras premiações na carreira. Em 2018 ganhou o prêmio "Compositor Brasileiro do Ano" pela UBC (União Brasileira dos Compositores) e no mesmo ano o álbum “Amor É Isso” foi eleito o 10º Melhor Disco Brasileiro pela revista Rolling Stone Brasil e um dos 25 Melhores Álbuns Brasileiros do primeiro semestre pela Associação Paulista de Críticos de Arte. Em 2014 foi eleito o “Homem do Ano na Música” pela revista GQ, mesmo ano que levou mais uma Grammy Latino.

 
Recentemente, no dia 17 de novembro, o cantor e compositor foi premiado na cerimônia do Grammy Latino 2022, que aconteceu em Las Vegas, nos Estados Unidos, na categoria “Melhor Álbum de Rock ou de Música Alternativa em Língua Portuguesa” por seu trabalho em “O Futuro Pertence À… Jovem Guarda” / GB Imagem

Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90