MENU

12/11/2020 às 00h00min - Atualizada em 12/11/2020 às 00h00min

ENTREVISTA COM O CANDIDATO MARCO AURÉLIO (PCdoB)

Da Redação de O PROGRESSO
MARCO AURÉLIO - Foto: Divulgação

Sabemos que a administração pública é muito complicada, com a burocracia emperrando os trabalhos e, às vezes, causando problemas jurídicos ao gestor, mesmo não havendo a intenção de dolo. O que lhe leva a entrar nessa disputa ferrenha pela prefeitura de Imperatriz?
O que me faz ser candidato a prefeito é meu sentimento por essa cidade e o fato de acreditar que minha missão de vida é ajudar pessoas. Nas últimas eleições, Imperatriz votou sem esperança, sem convicção, foi um voto de protesto, e não deu certo! Eu vim propondo a conjugação do verbo esperançar. Minha candidatura hoje se consolida como a alternativa para sairmos da estagnação e seguirmos em frente. Em vez da arrogância, da truculência, precisamos viver um período de diálogo, onde o mais importante seja cuidar de todas as pessoas. Em vez da Zona Azul, eu prefiro a Zona Livre. No lugar da fábrica de multas, eu prefiro a responsabilidade, a educação do trânsito. Ao contrário de uma saúde de fachada, eu prefiro uma saúde que viabilize o novo Socorrão, em parceria com o Governo do Estado. Como prefeito, vou trabalhar em todas as áreas, todos os dias.

Imperatriz tem mais de 150 bairros, a maioria sem infraestrutura. Faltam esgoto, pavimentação e até água. Mesmo sabendo que alguns desses serviços ainda são de obrigação do Estado, qual a sua proposta para este setor?
Eu conheço de perto esse problema que a população sofre com a água. Como parlamentar, trabalhei para a instalação de poços na região da Vilinha e Parque Alvorada, Vila Macedo e Vila Zenira, beneficiando mais de 6 mil famílias. Através do programa “Água nos bairros” vamos atender a mais famílias.  Também teremos o programa “Mais Asfalto Imperatriz” para garantir asfalto de qualidade e manutenção constante. Faremos a nossa parte e ainda: para cada quilômetro de asfalto que o governo do estado fizer, nós também faremos outro com drenagem e calçamento. Parceria que somará resultados.
 
E especificamente sobre os alagamentos de bairros, principalmente provocados pelos riachos, já que a cidade é cortada por vários, como o Bacuri, Capivara, Cacau, Riacho do Meio e Santa Teresa. O que fazer? Não haveria a possibilidade de uma canalização?
Nós vamos assumir de vez essa responsabilidade da drenagem, pois é preciso resolver a questão dos alagamentos definitivamente. No primeiro dia de mandato, faremos um grande mutirão de limpeza e desobstrução dos riachos com máquinas. Em seguida, será o aprofundamento das calhas para aumentar a capacidade de retenção de água, para que não transbordem com facilidade. A terceira etapa será a readequação de bueiros e pontes mal projetadas que barram o escoamento das águas que ficam represadas e alagam as ruas. A última etapa será a urbanização do trajeto dos riachos e a despoluição de suas águas.

Percebemos que o sistema de saúde pública vem, aos poucos, melhorando. O quer poderá ser feito para chegar a um nível satisfatório?
Nós vamos ampliar em 100% o número de equipes de PSF. Quando digo isso, falo das equipes completas. Vamos também construir novas unidades básicas de saúde, a exemplo do Parque Alvorada II, e também estender o atendimento para o final de semana. Outro eixo importante é o Centro de Referência Cuidar da Mulher. Vamos concentrar todos os serviços de atenção à mulher, desde consultas, exames, retorno, diagnóstico e o próprio procedimento prescrito pelo médico, tudo em um só lugar. Ampliar os serviços e garantir que tudo será resolvido no prazo marcado. Acabaremos com a exigência do comprovante de residência no nome do paciente, o que é uma barreira para muita gente. Vamos resolver isso. Bastará o cartão do SUS. Vamos zerar a fila para realização de cirurgias e manter zerada. Implantar o Centro Municipal de Referência em Saúde Mental e contribuir para a construção do Novo Socorrão de Imperatriz, em parceria com o Governo do Estado. As obras já vão começar.

A pandemia do coronavírus dificultou mais ainda as administrações, não apenas as municipais, como as estaduais e a federal. Na sua avaliação, a pandemia serviu como um alerta para as autoridades sobre a necessidade de uma melhoria mais acentuada do sistema de saúde?
A pandemia acentuou ainda mais a precariedade dos serviços públicos de saúde de Imperatriz. Se não fosse a ação do Hospital Macrorregional, do Materno Infantil e da UPA, todos da rede estadual, o número de óbitos aqui seria bem maior. Lá foram salvas milhares de vidas. Infelizmente, a prefeitura de Imperatriz não trabalhou o suficiente para oferecer atendimento a esses pacientes. Esperava-se da gestão municipal a mesma dedicação da gestão estadual, o que não houve.

E na área educacional, qual a sua proposta para, também, chegarmos a um nível mais elevado?
Primeiro vamos garantir o direito dos professores, valorização salarial. Vamos ainda ampliar a jornada, permitindo ao professor que tem 20 horas semanais, aumentar sua jornada para 40 horas. Implantaremos também a unificação de matrículas. Mas a questão do Ideb pra mim é muito importante: vencendo essas eleições, vamos colocar um educador na Secretaria de Educação. Vamos investir e aumentar nossa nota do Ideb. E mais dois compromissos: vou criar uma forte rede municipal de creches e escolas em tempo integral e acrescentar ao uniforme dos alunos, um par de tênis e uma mochila, além do material.

Ruas, praças e outras áreas públicas estão tomadas por vendedores ambulantes causando transtorno a quem precisa circular nestes locais. Além do mais, competem com lojistas que pagam seus impostos. Por que os gestores temem retirá-los desses locais?
Precisamos dialogar com os vendedores ambulantes, sem truculência, sem arrogância e sem perseguição. Todos precisam trabalhar e, com diálogo, nós vamos criar alternativas que garantam que todos possam trabalhar e garantir o sustento de suas famílias.

O trânsito de Imperatriz, assim como da maioria das cidades brasileiras, ainda precisa melhorar. A falta de estacionamento é um dos principais problemas. O senhor é a favor da Faixa Azul, pelo menos no Centro Comercial?
Vamos criar a Zona Livre que vai aumentar as áreas gratuitas no Centro, como forma de estimular a rotatividade dos clientes, mas sem punir os trabalhadores. O objetivo desse estacionamento rotativo tem que ser unicamente de organizar o trânsito, e não de faturar com ele. Vou cancelar o contrato com essa empresa de fora. É a prefeitura que vai gerenciar o seu trânsito, a Setran tem profissionais capacitados para isso.

Imperatriz cresceu desordenadamente, especialmente por causa do surgimento de bairros por meio de invasões. O senhor é favorável a invasão?
Eu sou a favor do planejamento. Infelizmente, Imperatriz cresceu sem organização, mas devemos respeitar as famílias que moram em bairros que começaram como ocupação e tratá-las com dignidade. Vamos criar estratégias para garantir que a cidade cresça de forma planejada daqui para frente. Pensando sempre em garantir moradia digna, infraestrutura e saneamento básico para essas famílias. Conheço todos dessa área e vamos resolvê-los.

Com o advento das redes sociais, as eleições, em geral, estão tendo um processo sob um nível baixo. São as “fakes news” imperando e, o que é pior, em boa parte atacando a vida pessoal do candidato e, o que é pior, envolvendo a sua família. Já vimos criança sendo exposta criminosamente. Como o senhor ver isso?
Temos que combater diariamente isso. O envio de mensagens que difundem a desinformação ficou mais comum com as redes sociais e induz as pessoas ao erro. Para evitar isso é preciso sempre checar todas as informações antes de compartilhar. Em minhas redes sociais você pode conferir as nossas ações e as propostas que estão no plano de governo.

Um grave crime ambiental que se verifica há décadas em Imperatriz é o esgoto in natura jogado no rio Tocantins. Por que a prefeitura não age com pulso forte contra a Caema, responsável pela rede de esgoto da cidade?
Infelizmente, temos muitos casos em que moradores interligam o esgoto à rede de drenagem. Não permitiremos isso ou qualquer possível falha de quem administre a rede de esgoto. A prefeitura garantirá parcerias, mas cobrará resultados.

A Caema cobra dos moradores pelo uso do esgoto o mesmo valor da água. Ou seja, se o consumidor paga 100 reais pelo consumo mensal da água, também paga 100 reais de esgoto. Elevando a conta para 200 reais, não é um absurdo, principalmente por que o serviço é precário e, além do mais, o esgoto não é tratado está poluindo o rio?
Como deputado, já consegui avançar com importantes obras de saneamento básico junto ao governo do estado com a Caema, a exemplo de abastecimento de água e rede de esgoto no Grande Bacuri. Como prefeito, reforçarei parcerias para conseguirmos a implantação de mais redes de esgoto, além de buscar reduzir as tarifas e garantir a preservação de todos os nossos riachos e do rio. Criaremos a brigada ambiental, que junto com todos os órgãos da gestão municipal garantirão a fiscalização. Não permitiremos agressão ao meio ambiente.

Deixe a sua mensagem para o povo de Imperatriz
Meus queridos amigos e amigas de Imperatriz, faltam poucos dias para as eleições e eu estou muito feliz de ter chegado até aqui, liderando as pesquisas, inclusive as das ruas, onde estamos fazendo uma campanha linda, uma campanha verdadeira, cheia de esperança e entusiasmo da turma do 65, que não para de crescer. Estou honrado pela confiança de Imperatriz e vocês podem ter certeza de que não vou decepcioná-los. Durante essa nossa caminhada, apresentei propostas e firmei compromissos com cada um de vocês. Quero reafirmar esses compromissos. Vou cumpri-los um a um. Podem me cobrar depois. Peço seu voto e agradeço a sua confiança.

PERFIL DO CANDIDATO
Marco Aurélio da Silva Azevedo mora há quase 25 anos em Imperatriz, viveu na Vila Redenção e há mais de 20 anos reside no Bacuri. De origem simples, é filho da costureira Maria Edinalva da Silva Azevedo e do músico Domingos Azevedo. Ainda menino, precisou vender fruta, pastel, picolé, “geladinho” e coxinha, também foi engraxate e jornaleiro.
Marco chegou aqui para realizar o sonho de prestar vestibular e entrar na universidade. Ia a pé todos os dias, de um extremo ao outro da cidade, fazer cursinho. Com o tempo, conseguiu alguns alunos de reforço escolar. Em 1997 fez seu vestibular na Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e foi aprovado para Matemática.
No mesmo ano começou a dar aulas em escolas particulares e no CE Jonas Ribeiro, como professor seletivado. Dois anos depois, fundou o cursinho Teorema, apenas com o ensino de matemática e somente com três alunos, dois deles bolsistas.
Casado com Alessandra, pai de Marco Aurélio Jr., de 12 anos, foi como professor que ele ficou conhecido em Imperatriz. Ajudou jovens estudantes a trilharem os caminhos dos sonhos, assim como aconteceu com ele um dia.

VIDA PÚBLICA
Em 2012, Marco foi eleito o vereador mais votado da cidade com 3.453 votos. Em seguida, em 2014, foi eleito deputado estadual com a maior votação de Imperatriz, feito repetido na eleição de 2018 ao obter 47.683 votos e o total de 25.087 em Imperatriz, sendo o mais votado na cidade mais uma vez.
Na Assembleia Legislativa, Marco Aurélio é considerado um dos mais atuantes deputados da nova safra de parlamentares do Maranhão. Foi presidente por dois anos de uma das mais importantes comissões da Casa, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e lidera o maior bloco de deputados da Assembleia.
Marco Aurélio é o deputado estadual que mais destinou emendas para Imperatriz. Garantiu recursos para a Saúde, para a Infraestrutura e para a Educação do município.
Marco garantiu aos estudantes do Maranhão um bônus de 20% nas notas do Enem para o vestibular da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). E foi relator do Projeto de Lei que criou a Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (Uemasul).


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...