MENU

12/11/2020 às 00h00min - Atualizada em 12/11/2020 às 00h00min

ENTREVISTA COM O CANDIDATO MANOEL GARIMPEIRO (PMB)

Da Redação de O PROGRESSO
MANOEL GARIMPEIRO - Foto: Divulgação

Sabemos que a administração pública é muito complicada, com a burocracia emperrando os trabalhos e, às vezes, causando problemas jurídicos ao gestor, mesmo não havendo a intenção de dolo. O que lhe leva a entrar nessa disputa ferrenha pela prefeitura de Imperatriz?
Eu quero ser prefeito de Imperatriz pelo motivo de insatisfação. Há mais de 30 anos, no mínimo, que eu participo da política e só deixa a desejar. Os gestores da cidade não têm transparência, e eu esperava um dia encontrar um político que fizesse o que tenho vontade de fazer. Como eu nunca encontrei um político assim, foi mais um dos motivos para eu me tornar político. Transformei meu voto de rejeição. Não tinha mais para quem votar, por isso, me lancei a candidato a prefeito, para fazer a diferença na cidade de Imperatriz.

Imperatriz tem mais de 150 bairros, a maioria sem infraestrutura. Faltam esgoto, pavimentação e até água. Mesmo sabendo que alguns desses serviços ainda são de obrigação do Estado, qual a sua proposta para este setor?
Para melhorar a infraestrutura da cidade, primeiro, vou fazer asfalto com qualidade. Já as ruas que não tiver saneamento básico, eu pretendo fazer bloquete e abrir mais ruas para que tenhamos um trânsito mais equilibrado na nossa cidade.

E especificamente sobre os alagamentos de bairros, principalmente provocados pelos riachos, já que a cidade é cortada por vários, como o Bacuri, Capivara, Cacau, Riacho do Meio e Santa Teresa. O que fazer? Não haveria a possibilidade de uma canalização?
O problema dos riachos de Imperatriz nunca foi resolvido porque há a falta de interesse dos gestores. Na minha gestão, como prefeito de Imperatriz, vou fazer canal em todos os riachos, fazer uma profundidade, e depois dos canais feitos, pretendo fazer a laterais de todos os riachos. Uma das propostas que tenho também para ajudar a melhorar as condições dos riachos, é amenizar a queda de água poluída dentro desses córregos. Por isso, vamos colocar nas margens desses riachos, encanação para receber todas as águas de esgoto, depois colocá-las em reservatório, tratá-las e jogar novamente nos riachos.

Percebemos que o sistema de saúde pública vem, aos poucos, melhorando. O quer poderá ser feito para chegar a um nível satisfatório?
Com mais médicos, com mais remédios e, acima de tudo, melhoria nos equipamentos, para que os profissionais da área tenham boas condições de trabalho. Pretendo também formar quatro funcionais, com nutricionistas, agentes de saúde para ir as residências e médicos, para reforçar e ampliar a saúde preventiva em nossa cidade.

A pandemia do Corona Vírus dificultou mais ainda as administrações, não apenas as municipais, como as estaduais e a federal. Na sua avaliação, a pandemia serviu como um alerta para as autoridades sobre a necessidade de uma melhoria mais acentuada do sistema de saúde?
Sim. A pandemia se transformou num grande exemplo para o país e o mundo. Nos atendimentos prestados pelo SUS, o preparo e a capacitação dos profissionais da saúde para trabalhar com uma humanização hospitalar, tornam os atendimentos mais eficazes e são imprescindíveis em meio a uma pandemia, trazendo mais conforto e segurança aos pacientes. Mas só isso não basta. É preciso que exista também estratégias para melhorar o sistema e fortalecê-lo, garantindo mais assistência não somente aos enfermos, mas também bons equipamentos para que as equipes que atuam na linha de frente contra o vírus sintam-se também seguros.

E na área educacional, qual a sua proposta para, também, chegarmos a um nível mais elevado?
Na educação vamos ampliar os colégios, dá melhores condições aos professores, com bons salários e cursos de capacitação, já que estão em constante aprendizado. A pandemia veio e fortaleceu a hibridização do ensino. Por isso, vamos trabalhar neste segmento diversas formas de ensino, capacitando mais ainda os professores para ensinar pelo ambiente virtual e aproximar mais ainda os alunos por lá. Por isso, vamos trabalhar a inclusão digital para que nenhum aluno, principalmente aqueles em situação de vulnerabilidade, seja afastado desse novo modelo de ensino. Vamos incentivar mais ainda as aulas por meio de pacotes de dados e tablets, para os alunos com menos condição não sejam afetados.

Ruas, praças e outras áreas públicas estão tomadas por vendedores ambulantes causando transtorno a quem precisa circular nestes locais. Além do mais, competem com lojistas que pagam seus impostos. Por que os gestores temem retirá-los desses locais?
Na minha gestão vamos arrumar locais eficientes para realocá-los. Não vou mexer se não tiver lugar para eles irem. Primeiro, vou organizar para tirá-los da rua, mas antes eu não posso deixar o pai de família fora do seu trabalho, passando necessidade numa cidade que não tem organização. Então, vamos organizar primeiro um local adequado para colocar todos os feirantes e vendedores ambulantes para que eles continuem ganhando o seu pão de cada dia.

O trânsito de Imperatriz, assim como da maioria das cidades brasileiras, ainda precisa melhorar. A falta de estacionamento é um dos principais problemas. O senhor é a favor da Faixa Azul, pelo menos no Centro Comercial?
Eu sou contra a zona azul. Sou contra tudo que tire o dinheiro do povo. Eu sou a favor da organização do trânsito, e de outra forma.

Imperatriz cresceu desordenadamente, especialmente por causa do surgimento de bairros por meio de invasões. O senhor é favorável a invasão?
Imperatriz é uma cidade que cresceu devido as invasões. Por isso, muitas das vezes há a desorganização. Na minha gestão, como prefeito de Imperatriz, vamos trabalhar para controlar e manter a organização, para que não seja preciso punir as pessoas que ocupam uma determinada área.

Com o advento das redes sociais, as eleições, em geral, estão tendo um processo sob um nível baixo. São as “fakes news” imperando e, o que é pior, em boa parte atacando a vida pessoal do candidato e, o que é pior, envolvendo a sua família. Já vimos criança sendo exposta criminosamente. Como o senhor ver isso?
Qualquer notícia falsa, seja em qual período for, eu sou contra. É preciso que exista uma legislação mais rigorosa quanto a propagação de informações falsas, para que os responsáveis pela disseminação destes conteúdos sejam devidamente responsabilizados.

Um grave crime ambiental que se verifica há décadas em Imperatriz é o esgoto in natura jogado no rio Tocantins. Por que a prefeitura não age com pulso forte contra a Caema, responsável pela rede de esgoto da cidade?  
A questão do esgoto em Imperatriz é uma falta de responsabilidade tanto da Caema como dos gestores da cidade. Quando eleito prefeito de Imperatriz vou agir. Vamos criar uma rede de esgoto, nas margens dos riachos, e fazer reservatórios para captar toda a água poluída. Depois disso, iniciar um processo de tratamento dessa água, para assim, depois jogá-la ao rio Tocantins.

A Caema cobra dos moradores pelo uso do esgoto o mesmo valor da água. Ou seja, se o consumidor paga 100 reais pelo consumo mensal da água, também paga 100 reais de esgoto. Elevando a conta para 200 reais. Isso não é um absurdo, principalmente por que o serviço é precário e, além do mais, o esgoto não é tratado está poluindo o rio?
Na minha gestão não vou permitir este tipo de cobrança em Imperatriz. Para mim, esse valor cobrado é meter a mão no bolso e roubar a população de Imperatriz. Eu vou agir. O povo não vai precisar pagar por um serviço sem ter o retorno daquele serviço.

Deixe a sua mensagem para o povo de Imperatriz
Quero dizer para o povo de Imperatriz que amo esta cidade e toda a comunidade. Gostaria de contar com o apoio de todos para termos uma cidade diferente. A nossa gestão será uma gestão política, por causa da minha insatisfação com agem na cidade. Por isso que sou candidato a prefeito, por conta desse sistema que acho injusto. Com a oportunidade, vamos crescer Imperatriz juntos: com amor, com organização e da forma que seja mais harmônica para todos, investindo sempre para melhorar a qualidade de vida das pessoas que residem aqui.

PERFIL DO CANDIDATO
Manoel Nunes de Almeida nasceu em 20 de novembro de 1947, na cidade de Batalha, do Piauí. É pai de quatro filhos, sendo três mulheres e um homem. Hoje, seu estado civil é de divorciado. Sua ocupação, no momento, é de vendedor, e possui o ensino médio completo.
Manoel Garimpeiro, tal qual como ficou conhecido nos anos de 1980 e 1988 por  trabalhar  com garimpo na Serra Pelada, concorre pela primeira vez a um cargo do poder executivo municipal. Nas eleições de 2020, seu número de campanha é o 35, candidato pelo Partido da Mulher Brasileira (PMB) e sem coligação. Sua vice é a Norma. Está há mais de 30 anos na política como simpatizante, e devido a sua insatisfação com gestores que administraram Imperatriz, somente agora decide concorrer ao cargo de prefeito da cidade.


 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Loading...