MENU

07/11/2022 às 21h16min - Atualizada em 14/11/2022 às 00h00min

“A pandemia da obesidade”

Ludmila Pereira de Araujo Souza *
Há 2 anos e meio, mais ou menos, sempre quando se fala de pandemia somos remetidos à Covid-19. Mas hoje, não estou aqui pra falar sobre a doença provocada pelo coronavírus.

Primeiramente, gostaria de relembrar sobre o conceito de pandemia e porque eu o escolhi para falar.  

Segundo a Organização Mundial de Saúde, pandemia é quando uma doença tem disseminação mundial, ou seja, quando atinge diversos países ou continentes, afetando um grande número de pessoas. 

E por que eu trago esse conceito e o relaciono com a obesidade? Justamente porque, segundo dados do Atlas Mundial de Obesidade de 2022, mais de 17% da população do mundo já está obesa. Isso sem citar os casos de sobrepeso que é ainda maior. 

E trazendo esses números para o Brasil, conforme o Ministério da Saúde, mais de 50% da população está acima do peso adequado. Ou seja, é claro e notório que estamos vivendo também uma pandemia com a obesidade, mas que não é alarmada como a Covid-19 pois não é contagiosa igual ao coronavírus e nem a impede diretamente de ir e vir. 

Só que não é por isso que deixa de ser relevante e preocupante, já que se trata de uma doença crônica e que já apresenta números bastante alarmantes, principalmente quando levamos em consideração que é uma crescente e que o excesso de peso nunca vem sozinho. Ele costuma estar agregado a outras doenças, como hipertensão arterial, diabetes, esteatose hepática (a famosa “gordura no fígado), entre tantas outras. 

Infelizmente, o excesso de peso ainda tem seu tratamento pautado pela população como “é só fechar a boca” ou julgado como “é gordo porque quer” e não como uma doença crônica como, de fato, ela é e que precisa de tratamento por toda vida, além de necessitar ser levada em consideração uma série de outras questões, como ambientais, hormonais, psicológicas, culturais, bem como avaliar e tratar um indivíduo como um ser único e com demandas particulares. 

Uma coisa é fato: a imunização contra a Covid-19 já existe e está fazendo com que saiamos de uma pandemia. A solução contra a obesidade não é “tão fácil” como uma vacina, mas é possível quando a população entende que se trata de uma doença e procura tratamento profissional adequado. E já conto a você como: alimentação e estilo de vida saudáveis. Essa é a chave do sucesso contra o excesso de peso e é assim que seguiremos combatendo a pandemia da obesidade.

________________________________________________________________________________________________
* Ludmila Pereira de Araujo Souza é Nutricionista, especialista em Nutrição Clínica com ênfase nas enfermidades renais
Instagram: @ludmilapasouza.nutri - Email: [email protected]
 

Notícias Relacionadas »
Comentários »