MENU

OPROGRESSONET Publicidade 728x90
31/10/2022 às 18h48min - Atualizada em 31/10/2022 às 18h48min

Projeto de extensão promove educação ambiental e alimentar com cultivo de hortaliças

A implantação da horta irá proporcionar condições para que os estudantes reflitam sobre os hábitos alimentares e sobre a preservação do meio ambiente

Mari Marconccine - Assessoria de Comunicação UEMASUL
Professor Járrison explica aos estudantes o processo de semeadura das hortaliças - Fotos: Equipe do projeto
 
A exploração dos recursos naturais de forma indiscriminada, o descarte inadequado de resíduos no ambiente produzidos pelas diversas atividades econômicas e produtivas, impactam significativamente nas mudanças climáticas que estão ocorrendo em todo o planeta, e em nossa saúde. As atividades desenvolvidas pelos seres humanos, em todos os ambientes, familiares, comerciais, escolares, de lazer, geram resíduos que não possuem destinação adequada, contribuindo para as mudanças no cenário ambiental. 

No ambiente escolar, durante a formação das crianças e dos adolescentes, torna-se necessário elaborar estratégias e realizar ações de conscientização sobre os efeitos que os resíduos podem provocar no meio ambiente. No município de Estreito, como em muitos outros municípios, os professores enfrentam desafios para trabalharem a conscientização sobre a educação ambiental e alimentar com os estudantes da educação básica.

Diante dessa realidade, os acadêmicos e acadêmicas do curso de Engenharia Agronômica da UEMASUL, do Centro de Ciências Agrárias, Naturais e Letras (CCANL), campus Estreito,  desenvolvem o projeto de extensão “Horta na escola: educação ambiental e alimentar no município de Estreito, Maranhão”, com o objetivo de formar pessoas conscientes e capazes de interferir positivamente nos hábitos da família, e, consequentemente na preservação do meio ambiente e no consumo de alimentos saudáveis, com a possibilidade de modificar a realidade local, a curto, médio e longo prazos.

Sob a orientação do professor Járisson Cavalcante Nunes, o projeto conta com a colaboração da professora Daniele Lima Rodrigues, dos professores Weverton Pereira Rodrigues e Gutierrez Rodrigues Morais, da acadêmica bolsista Camila Mata de Aguiar e dos acadêmicos voluntários Paulo César Sousa Lima e Melquisedeque Gomes Ferreira.

O cultivo de hortaliças no ambiente escolar foi a ação escolhida para essa conscientização de crianças e adolescentes e funciona como instrumento de ensino/aprendizagem. A instalação da horta tem o objetivo de proporcionar uma relação entre os alunos, a produção e o consumo de alimentos saudáveis, beneficiando também as famílias e toda a comunidade escolar. A ação possibilita ainda diversas atividades pedagógicas, unindo teoria e prática.

O coordenador do projeto explicou como surgiu a ideia. “O projeto de extensão surgiu a partir da observação de áreas adequadas em algumas escolas para o cultivo de hortaliças e da necessidade de elaborar estratégias para reaproveitamento dos resíduos alimentares gerados pela comunidade acadêmica. A inserção da horta na escola envolve a interdisciplinaridade e é uma ferramenta didático-pedagógica importante no processo de ensino-aprendizagem. Dessa forma, ao trabalhar de forma prática temas importantes como a preservação do meio ambiente e o potencial das hortaliças na segurança alimentar e nutricional, provavelmente as crianças e os adolescentes serão multiplicadores dos benefícios promovidos pelas ações desenvolvidas no ambiente escolar”.

O projeto “Horta na escola: educação ambiental e alimentar no município de Estreito, Maranhão” faz parte do Programa Institucional de Bolsas de Extensão (PIBEXT), com a finalidade da troca de informações e saberes entre a comunidade escolar e os acadêmicos da UEMASUL. A acadêmica bolsista Camila Mata de Aguiar, do 5º período fala sobre a alegria de participar do projeto. “Eu me sinto muito privilegiada em passar um pouco do meu conhecimento para os alunos, e ver como eles ficam animados em participar e aprender junto com a gente. É muito gratificante. O projeto de extensão leva conhecimentos além dos muros da universidade, e nós também aprendemos junto com a comunidade”, ressaltou.

O sistema de produção das hortaliças é realizado sem o uso de defensivos agrícolas e com o aproveitamento dos resíduos gerados por meio do processo de compostagem, que é o processo de reciclagem do lixo orgânico, transformando-se em um adubo natural. A implantação da horta proporciona condições para que os estudantes reflitam sobre os hábitos alimentares e sobre a preservação do meio ambiente.

A Unidade Escolar José Reinaldo Tavares foi a escola selecionada para o desenvolvimento do projeto. Ela possui 130 alunos, do primeiro ao quinto ano do ensino fundamental e 25 servidores. Para a seleção foi considerada, entre outros fatores, a produção de resíduos orgânicos provenientes da alimentação feita nas dependências da escola. 

O plantio, manutenção e colheita das hortaliças irá trabalhar a conscientização ambiental e alimentar, promovendo uma mudança de valores e multiplicação dos benefícios. Também serão construídos nos estudantes, o senso de responsabilidade e de valores. “Para mim, enquanto acadêmico, o projeto horta na escola tem sido de grande importância, pois, por meio dele, é possível incentivar a educação ambiental e alimentar de forma prática e didática, ensinando os alunos a reciclarem os resíduos orgânicos e produzirem suas próprias hortaliças”, relatou o acadêmico voluntário, Paulo César Sousa Lima.

Projeto “Horta na escola: educação ambiental e alimentar no município de Estreito, Maranhão”

A primeira etapa do projeto começou a ser desenvolvida em fevereiro de 2022, com a capacitação dos discentes. Nos meses de maio e junho foram realizadas palestras sensibilizando a comunidade escolar para separar e reaproveitar os resíduos gerados na escola. Em seguida foi realizado o preparo da área, a confecção dos canteiros, a correção do solo e o início da pilha de compostagem. A semeadura e o transplantio das mudas de hortaliças iniciaram no mês de agosto. A produção da horta será destinada aos alunos e servidores para complemento da merenda escolar.

Extensão
O desenvolvimento de políticas de extensão universitária é um instrumento indispensável ao funcionamento e dinamismo das instituições de ensino superior. Por meio dos projetos de extensão se disseminam conhecimentos científicos, artístico-culturais e tecnológicos, promovendo a aproximação e a troca de saberes entre universidade e comunidades locais e regionais. Além disso, as ações extensionistas promovem a formação técnica/profissional dos alunos e contribuem para o desenvolvimento da região Tocantina do Maranhão. 

Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90