MENU

OPROGRESSONET Publicidade 1200x90
OPROGRESSONET Publicidade 728x90
30/10/2022 às 22h24min - Atualizada em 30/10/2022 às 22h24min

Presidente da Câmara diz que vitória de Lula não deve ser contestada

Arthur Lira afirmou que o momento é de pacificar o país e construir novos pontos para melhorar a vida dos brasileiros: "É hora de desarmar os espíritos".

Heloisa Cristaldo
Agência Brasil - Brasília
Arthur Lira parabenizou o presidente eleito - © Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

  
O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou na noite deste domingo (30) que a decisão dos brasileiros de eleger o candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) como o próximo presidente da República “jamais deverá ser contestada”.

"A maioria registrada nas urnas jamais deverá ser contestada e seguiremos em frente na construção de um país soberano, justo e com menos desigualdades", afirmou.

"Ao presidente eleito, a Câmara dos Deputados lhe dá os parabéns e reafirma o compromisso com o Brasil, sempre com muito debate, diálogo e transparência. É preciso ouvir a voz de todos, mesmo divergentes, e trabalhar para atender as aspirações mais amplas”.

Segundo o congressista, o "Brasil deu mais uma demonstração da vitalidade da força de suas instituições".

O parlamentar afirmou que o momento é de pacificar o país e construir novos pontos para melhorar a vida dos brasileiros.

"É hora de desarmar os espíritos, estender a mão aos adversários, debater, construir pontos, propostas e práticas que tragam mais desenvolvimento, empregos, saúde, educação e marcos regulatórios eficientes. Tudo que for feito daqui para frente tem que ter um único princípio: pacificar o país e dar melhor qualidade de vida ao povo brasileiro", disse.

Presidente

O candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está matematicamente eleito presidente do Brasil. Com 98,81% das urnas apuradas, ele tem 50,83% dos votos válidos e não pode ser mais ultrapassado pelo atual presidente, Jair Bolsonaro (PL), que tem 49,17%.

Eleito em 2002 e reeleito em 2006, Lula comandará o país pela terceira vez. Com 77 anos, será o presidente mais velho a assumir o cargo. O novo vice-presidente será o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSB).


Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90