MENU

OPROGRESSONET Publicidade 1200x90
OPROGRESSONET Publicidade 728x90
28/10/2022 às 20h29min - Atualizada em 28/10/2022 às 20h29min

Novela em preto e branco no Globoplay

Plataforma disponibilizou a primeira versão de “Anjo Mau”, gravada em 1976

Da Redação
GB Edições
Em 1976, Susana Vieira interpretou a babá Nice em “Anjo Mau”, um dos marcos de sua carreira artística / Foto: Arquivo GB Imagem
  
A TV em cores ainda estava engatinhando no Brasil, quando em 1976 a Globo resolveu gravar ainda em preto em branco o sucesso “Anjo Mau”, mesmo já tendo outras produções sendo gravadas em cores. Talvez, naquela época não faria muito diferença, afinal, grande parte, ou quase a maioria dos televisores somente recebiam imagens em preto e branco. Quem tinha uma televisão em cores era considerado “rico”, e eram poucos os privilegiados. Aliás, até para se ter uma televisão, mesmo que preto e branco, se precisava de muito esforço e trabalho, ou seja, a televisão ainda era um artigo de luxo, cobiçado por muitos.
 
“Anjo Mau” foi escrita por Cassiano Gabus Mendes e dirigida por Fábio Sabag e Régis Cardoso. A trama original que foi exibida entre 02 de fevereiro a 24 de agosto de 1976 teve 175 capítulos.
 
A novela conta a história de Nice (Susana Vieira) filha adotiva de uma família humilde. Ambiciosa, não se conforma em trabalhar como operária e balconista, sendo sempre despedida por displicência. Ela consegue uma vaga como babá na casa de uma família de classe alta onde seu pai é motorista e passa a cuidar do bebê Edinho, o filho de Stela (Pepita Rodrigues), uma das herdeiras. Imaginando que esta pode ser sua chance de ascender socialmente, Nice alimenta intrigas na família e faz tudo para conquistar Rodrigo (José Wilker), o filho mais velho dos Medeiros, por quem realmente acaba se apaixonando. 
 
Rodrigo é noivo de Paula (Vera Gimenez) que, na verdade, é apaixonada por seu irmão, Ricardo (Luis Gustavo). Nice descobre que os dois têm um caso e consegue fazer com que Rodrigo termine a relação com a noiva e rompa com o irmão. Revoltado com a hipocrisia do universo social em que vive e determinado a desafiar sua família, Rodrigo passa a sair com Nice, levando-a aos locais badalados da alta sociedade. Mas, ele começa a se interessar por Léa (Renée de Vielmond), o que leva a babá a armar novas intrigas, agora para separar o casal. 
 
Em 1997, aproveitando o argumento original de 1976, Maria Adelaide Amaral fez um remake da trama, acrescentando novos núcleos e personagens, sob direção de Denise Saraceni e com Glória Pires interpretando a babá Nice.

Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90