MENU

OPROGRESSONET Publicidade 1200x90
OPROGRESSONET Publicidade 728x90
24/10/2022 às 21h11min - Atualizada em 24/10/2022 às 21h11min

Estudantes do Colégio Militar Tiradentes I conquistam cinco prêmios na OBR 2022

SECOM/MA
Equipe ELETROHM, 1° lugar na Modalidade Virtual Apresentação, categoria Inovação, Ensino Médio - Foto: Divulgação
O Colégio Militar Tiradentes (CMT) I, escola da rede estadual de ensino do Maranhão, foi o grande campeão da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) 2022. A escola foi a única do país a ser chamada cinco vezes ao palco para receber premiações. A solenidade para a entrega dos prêmios foi realizada no sábado (22), na cidade de São Bernardo do Campo, em São Paulo.

Para as equipes inscritas na OBR foi lançado o seguinte desafio: criar um robô que, em um ambiente hostil, perigoso para o ser humano, seja capaz de resgatar vítimas sem interferência humana. O robô deveria ser ágil para superar terrenos irregulares, transpor caminhos desconhecidos, desviar de escombros e subir montanhas para conseguir salvar as vítimas desse desastre, transportando-as para uma região segura onde os humanos já poderão assumir os cuidados.

“A OBR é uma das olimpíadas mais disciplinares, mais transversais de todas as olimpíadas de conhecimento. Você tem que ter conhecimento em Ciências, Matemática, Inglês, História, dentre outras áreas. E os nossos meninos foram gigantes. Isso é um feito inédito na história da robótica do Maranhão, é a consolidação de um trabalho árduo e cansativo, mas realizado com muita satisfação”, disse José Sóstenes, professor de Robótica do Colégio Militar Tiradentes I.

O CMT I participou tanto com equipes do Ensino Médio quanto do Ensino Fundamental e conquistou as seguintes premiações: com a equipe Diamante, levou o 1° lugar na Modalidade Virtual Apresentação, na categoria Maker, para estudantes de 1º ao 8º ano do Ensino Fundamental, a equipe também conquistou o Prêmio Extra “Melhor Robô Maker”; com a equipe Outsiders, 1° lugar na Modalidade Virtual Simulação, para estudantes do Ensino Médio; com a equipe ELETROHM, levou o 1° lugar na Modalidade Virtual Apresentação, categoria Inovação, para estudantes do Ensino Médio; e com a equipe JAJA ficou em 2º lugar na Modalidade Apresentação, categoria Maker, para estudantes do Ensino Médio.  

Para os estudantes, foi um momento especial, de coroação do esforço e dedicação aos estudos. “A nossa participação na OBR nacional tem um valor extremamente importante para a gente, pois para chegar a esse nível nós tivemos que nos dedicar muito e superar diversos obstáculos que foram aparecendo no decorrer do caminho, sem contar a experiência que nos obtivemos e as pessoas que nos conhecemos durante a competição”, disse Huan Lin Fui, integrante da equipe Diamante.

“As olimpíadas científicas são uma fonte de estímulo ao desenvolvimento do aluno durante esse período. Elas trazem a possibilidade de materializar o que é aprendido nas aulas e, com a OBR, isso não é diferente. Nós, da equipe ELETROHM, nos sentimos imensamente agraciados com todas as experiências adquiridas e felizes por essa conquista, que nada mais é que o reflexo de todo o nosso esforço no decorrer dessa jornada de aprendizado composta de desafios e superações”, destacou Pedro Henrique Pereira, integrante da equipe ELETROHM. 

“Para a equipe JAJA, essa conquista é muito importante e gratificante. Mais do que um prêmio, é um reconhecimento e a consolidação de todo nosso esforço e trabalho que desempenhamos durante o ano de 2022. Além de uma vitória da nossa equipe, da nossa escola e do nosso estado, essa também é uma conquista feminina, uma vez que nossa equipe é formada apenas por meninas, que ainda possuem tão pouca representação nos espaços científicos. É, portanto, um momento histórico e especial que deve ser celebrado”, destacou Álida Souza Serra, da equipe JAJA.

“O reconhecimento é muito importante, é num evento nacional como a OBR que o mundo sabe que você existe e sabe quem você é. Lá em São Paulo pude ver pela primeira vez o quão a robótica é espetacular! Desde robôs que jogam futebol até robôs que resgatam vítimas. Também pude aprender a programar e a montar robôs autônomos que já estão sendo muito presentes na indústria 4.0”, pontuou Luis Ricardo França Pereira, que participou da Modalidade Teórica, que era individual.

 

Sobre a OBR

A Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR) tem o objetivo de estimular os alunos a carreiras científico-tecnológicas, identificar talentos e promover debates e atualizações no processo de ensino-aprendizagem brasileiro.

Participaram da Olimpíada, estudantes de escolas públicas e privadas do Ensinos Fundamental, Médio e Técnico, assim como instituições sem fins lucrativos. A OBR foi desenvolvida nas modalidades Prática e Teórica, que procuram adequar-se tanto ao público que nunca viu robótica quanto ao público de escolas que já tinham contato com a Robótica Educacional. As atividades aconteceram através de competições práticas (com robôs) e provas teóricas em todo o Brasil.

 

Mais competições

A escola se prepara para participar da FIRA Brasil, etapa nacional de robótica que reúne equipes de todo país. Os vencedores irão representar o país na FIRA ROBO WORLD CUP (Copa do Mundo de Robótica), que será disputada na Alemanha. (SECOM)

Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90