MENU

OPROGRESSONET Publicidade 1200x90
OPROGRESSONET Publicidade 728x90
20/10/2022 às 19h54min - Atualizada em 20/10/2022 às 19h54min

“Se não fizermos assim, quando é que o filho do pobre vai ser médico?”, diz Brandão sobre curso de Medicina na UEMA

Secom/MA
Entrevista do governador Carlos Brandão à rádio Mirante AM - Foto: Gilson Teixeira
 
Nesta quinta-feira (20), o governador Carlos Brandão concedeu entrevista ao programa Ponto Final, da Mirante AM. Durante o diálogo, conduzido pelos radialistas Jorge Aragão e Rodrigo Bonfim, Brandão pôde falar de temas como a implantação do curso de Medicina na UEMA, obras a serem inauguradas, geração de empregos e o reconhecimento às políticas sociais.

“Eu estive na UEMA lançando a faculdade de Medicina, algo inédito para o Maranhão e que vai atrair, inclusive, pessoas de outros estados. É uma obra de R$ 19 milhões que vai gerar 500 empregos diretos e indiretos, e vai durar 1 ano e meio. É algo fundamental e que recai na minha promessa de geração de trabalho e renda”, pontuou o governador Carlos Brandão.

Brandão ressaltou, ainda, que a iniciativa do Governo do Estado parte da intenção de garantir às pessoas de baixa renda a oportunidade de terem uma profissão altamente qualificada.

“Quando abrirmos o vestibular, o filho do pobre, do trabalhador, terá maiores chances de acessar uma faculdade de Medicina gratuitamente. Se não fizermos assim, quando é que o filho do pobre vai ser médico?”, indagou o governador, ao comentar sobre os altos custos de uma faculdade particular de Medicina.

Carlos destaca que o Estado segue com as finanças equilibradas e cumprindo metas, o que inclui centenas de inaugurações previstas para serem realizadas até o fim de 2022.

“O Governo está funcionando perfeitamente em todas as áreas, com as finanças equilibradas, seja em serviços de saúde, educação, infraestrutura, social, segurança alimentar. Nós ainda temos mais 400 obras a serem inauguradas até o final do ano”, destacou Brandão.

Na oportunidade, Brandão também falou sobre o reconhecimento dos maranhenses quanto às políticas sociais que têm sido desenvolvidas pelo Governo do Estado, em especial os Restaurantes Populares, programa que pretende ampliar para os 217 municípios do Maranhão.

“Quando assumimos, eram apenas 6 Restaurantes Populares localizados em São Luís. Flávio Dino me entregou o governo com 100 unidades, e em 7 meses eu construí 70. Vamos ampliar para todos os municípios, porque é uma política social muito forte, que ampara as pessoas desempregadas e que passam necessidade”, assegurou o governador.

Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90