MENU

OPROGRESSONET Publicidade 1200x90
OPROGRESSONET Publicidade 728x90
17/10/2022 às 19h49min - Atualizada em 17/10/2022 às 19h49min

Livros & Leitura

Leia e comente.

Da Redação
GB Edições

Revolução dos Improváveis

O que teria acontecido se Albert Einstein tivesse desistido da Ciência por causa das notas baixas? Se Walt Disney jogasse tudo para o alto, porque foi apontado como “não criativo”? E imagina ser demitido da própria empresa que criou como aconteceu com Steve Jobs? Sem contar Michel Jordan, que foi vetado do time da escola. E se todas essas sumidades tivessem sucumbido ao fracasso? Este é o questionamento do líder em capacitação de pessoas e escritor Carlos Damasceno no livro “Revolução dos Improváveis”, lançamento da Editora Vida. Para o especialista em Gestão Estratégica de Negócios e bacharel em Direito, esses e também outros nomes não eram privilegiados, sequer detinham habilidades excepcionais. “Eles não tiveram uma estrada pronta e segura construída pelo legado de um familiar; pelo contrário, foram gerados na jornada de uma vida desafiadora”. Porém, de acordo com Damasceno, decidiram avançar em vez de paralisar diante das adversidades e da condição social que se encontravam. Carlos Damasceno responde à pergunta que assombra a maioria da população: “Será que é possível contrariar a lógica e dar a volta por cima, mesmo sem ser a aposta de ninguém?”.  Em “Revolução dos Improváveis”, o autor mostra um caminho repleto de possibilidades para que o leitor possa se fortalecer mental e emocionalmente, se posicionar corretamente diante das dificuldades e sair, definitivamente, da zona de conforto. O livro tem 144 páginas.
 

Quando Acende a Câmera: Qualidades
da Atuação Contemporânea

Com mais quarenta produções no Brasil, entre novelas, séries e filmes, o roteirista, preparador de elenco, professor de atuação e diretor de cinema e televisão argentino, Eduardo Milewicz, publica “Quando Acende a Câmera: Qualidades da Atuação Contemporânea”. O livro reúne conceitos, ferramentas e processos da indústria audiovisual nesta tarefa que se tornou cotidiana para além da categoria de atores no mundo pós-covid: atuar na frente de uma câmera e das telas. “Muito se sabe sobre a performance teatral, mas poucos se propuseram a abordar a performance audiovisual de forma pedagógica, didática e conceitual”, comenta Milewicz, que treina e dirige atores há mais de 30 anos. Muitos conhecidos do público brasileiro, como Vera Holtz e Chay Sued, endossam a obra ao lado de Claudia Raia, Claudia Abreu e Mouhamed Harfouch. Foi também Milewicz quem preparou Wagner Moura em sua primeira temporada de “Narcos” na Netflix. A obra, no formato ensaio, é estruturada em torno de um dia de trabalho, no qual dez atores vão explorar como a câmera impacta seus corpos e a sua expressão. Quais são as crenças erradas? Por que o óbvio é tão difícil de ver? E quais são as qualidades de atuação exigidas hoje? Perguntas como estas ganham comentários instigantes e a orientação experiente do renomado diretor em nove capítulos. Em tempos de trabalho online, lives, reuniões por plataformas digitais, interagir na frente de uma câmera deixou de ser uma tarefa exclusiva dos atores de cinema e televisão. Com a migração digital em massa, compreender e aprimorar a linguagem, expressão e comunicação diante de uma tela se tornou uma necessidade para professores, advogados, empresários, influenciadores e centenas de profissionais, que encontrarão em “Quando Acende a Câmera” orientações assertivas para se adequar aos novos tempos. Com 208 páginas, a obra é um lançamento da Editora Um Livro.
 

Audácia Ambiciosa

Quantas vidas cabem em uma vida? Em “Audácia Ambiciosa”, o leitor é apresentado a Oneida Murata, uma sobrevivente que conheceu a dor, o gozo e o mundo de forma intensa. Primeiro livro do aclamado publicitário e compositor, MárcioDPMoura, esta é uma obra sobre a força extraordinária de uma mulher. Quando criança, Oneida sobreviveu a um desastre de grandes proporções em seu vilarejo natal, na Itália. Enviada a um orfanato, enfrentou o abuso, a hipocrisia e a solidão. Já adulta, na América, tornou-se uma brilhante colaboradora da máfia italiana. Sua ambição e sede de viver conduzem o leitor pelas emocionantes pinturas de Michelangelo na Capela Sistina, por uma noite de puro gozo sob o céu estrelado de Miami, mas também pelo medo da morte e por uma verdadeira zona de guerra nas favelas do Rio de Janeiro. Estreante na literatura, o autor tem uma carreira sólida como compositor. Suas músicas já foram gravadas por Zezé Di Camargo & Luciano, Roupa Nova, Regininha, Chico Anísio, Os Incríveis, Padre Marcelo, Hyldon entre outros. Predominantemente ambientado em Roma, Nova Iorque e na Cidade Maravilhosa, “Audácia Ambiciosa” é um livro de ficção e suspense. O autor introduz ainda conhecimentos sobre a cultura de cada local e, para coroar, presenteia o leitor com diversas passagens de um delicioso erotismo. O conjunto da obra desperta o desejo de devorá-la de uma só vez. Com 248 páginas, o livro é da Editora Primeiro Capítulo.
 

Hey Hey Club

Uma pequena cidade no nordeste americano, o futuro no espaço sideral, um pequeno jornal em Illinois, um reino mágico, dois músicos fugitivos e um bravo cavaleiro. Estas e outras narrativas compõem o lançamento “Hey Hey Club”, do jornalista musical Carlo Antico. Na obra, o autor reúne contos, crônicas e poesias sobre universos complexos e ficcionais, mas também retrata de forma poética momentos e ações do cotidiano, como uma simples viagem de ônibus. Com a proposta de criar uma narrativa singular e desconstruída dos padrões literários, a principal inspiração do jornalista brasileiro foi o escritor norte-americano Ernest Hemingway, conhecido pelos livros “O Velho e o Mar” e “Por Quem os Sinos Dobram”. Com o objetivo de dar continuidade ao trabalho de autores como Stephen King e Ray Bradbury, Antico realiza experimentos narrativos em que a fantasia e o absurdo surpreendem, sem perder a conexão com o mundo real. É como se as histórias presentes no livro pudessem acontecer com o leitor a qualquer momento. “Hey Hey Club” é também um livro recheado de referências a clássicos da literatura como “A Volta do Parafuso”, “Guerra e Paz”, “A Volta ao Mundo em Oitenta Dias”, entre outros. Por meio dessas menções, o autor busca homenagear escritores renomados como Edgar Allan Poe, Stella Rimington e Arthur Conan Doyle. Se em “Cinco Máscaras” Antico revelou sua faceta de romancista, neste lançamento o leitor é apresentado a capacidade de elaborar narrativas envolventes tanto na fantasia, quanto nas crônicas. “Hey Hey Club” é o terceiro livro do autor, que já foi premiado no estado do Oregon (EUA), com o livro “Straight and Lethal”, publicado em 2013 apenas em inglês. Com 190 páginas, o livro é da Editora Labrador.

 
Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90