MENU

OPROGRESSONET Publicidade 728x90
12/10/2022 às 22h57min - Atualizada em 12/10/2022 às 22h57min

Livros & Leitura

Leia e comente.

Da Redação
GB Edições

Hello, Adam

Durante três anos, Adam enfrentou uma fase grave de depressão, desencadeada pelo sumiço de seu noivo no dia do casamento. Sem saber o que havia acontecido com John, Adam aos poucos aprende a lidar com o abandono e seguir a vida. Até que, como um fantasma do passado, o ex retorna à vida do protagonista, causando um colapso emocional. É desta forma inusitada que o leitor é apresentado ao enredo de “Hello, Adam”, lançamento do escritor Antonio Marcello.  Inspirada nos aprendizados do autor ao enfrentar a própria depressão, a obra é a primeira de uma trilogia, que será traduzida para o inglês em 2023. Fascinado pela diversidade cultural e liberdade individual em Nova Iorque, o autor escolheu a cidade como palco da história onde o protagonista tem a vida paralisada enquanto espera notícias do ex-noivo. Tudo o fazia lembrar de John, o apartamento que escolheram, a vira-lata que adotaram e a agência que juntos criaram. A reviravolta acontece com o retorno inesperado, que coloca à prova todas as sessões de terapia e desestabiliza Adam a ponto de ter um colapso nervoso. Será que é possível perdoar alguém que lhe causou tanta dor? Existe alguma possibilidade dos dois se darem bem novamente? Sem rodeios e pomposidades, o autor traz de forma natural questões reais como preocupações de famílias adotivas, dilemas enfrentados por pessoas trans, amores e desafios de relacionamentos comuns a todas as pessoas. Nesta história sobre um coração partido, Antonio Marcelo mostra que quando alguém cruza o caminho do outro, há sempre uma razão por trás. Com 220 páginas, o livro é da Editora Hortelã.
 

O que Ninguém Te Contou Sobre o Burnout

O Brasil é o segundo país do mundo com mais casos de Burnout, de acordo com o International Stress Management Association (ISMA-BR).  Em números, a síndrome chega a atingir 30% dos mais de 100 milhões de trabalhadores, segundo levantamentos da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (Anamt). Diante desse número crescente e das inúmeras dúvidas que surgem em torno do esgotamento profissional é que o médico e advogado especialista em Saúde Ocupacional Marcos Mendanha decidiu usar sua experiência e conhecimento para responder às principais perguntas sobre o tema criando o livro “O que Ninguém Te Contou Sobre o Burnout”, publicado pela Editora Mizuno. Na obra, o autor traz explicações com base em quatro pilares importantes de conceitos e ideias utilizados atualmente para definir a Síndrome de Burnout: Freudenberger, Maslach, CID-11, da Organização Mundial da Saúde (OMS), e o Burnout do senso comum. “Depois de anos de estudos e com base nas décadas de atuação, decidi reunir esses conhecimentos para responder perguntas como a síndrome pode e fato estar associado ao estresse, a depressão, ao suicídio e até se há cura", explica o autor. O objetivo do livro, segundo o especialista, é trazer clareza a um tema que ainda está em discussão e com poucos pontos em consenso entre os especialistas. “A Síndrome de Burnout não é algo novo, porém está numa fase de estudos e discussões, principalmente diante dos números crescentes de diagnósticos. A CID-11 vem dar esse norte e o livro, que é para todos os interessados no tema, surge para auxiliar nessa reflexão”, finaliza.
 

Cavaleiros da Tempestade

No país de Cisam, duas cidades enfrentam o iminente desarranjo entre o Caos e a Ordem, as forças mágicas que regem aquele mundo. Para enfrentar esta perigosa ameaça, tudo o que um bando de aventureiros tem é o poder de seus acordes. O livro “Cavaleiros da Tempestade”, de Adriano Rossi, apresenta uma empolgante trama sobre um lugar onde a magia é controlada por meio da música. Neste épico de fantasia, o autor revela como um grupo de bardos do Caos irá combater o delírio imperialista do poderoso Molitor e seu exército, que quer impor a Ordem para todos. A narrativa é dividida em duas tramas intercaladas. Em alguns capítulos o leitor acompanha a trajetória do jovem Lars, filho de bandidos do Caos que foi aceito como aprendiz de violino no quartel General da Ordem. Nas outras partes, descobre-se como Gibson, Fen, Roland, Pearl e Roads, os Cavaleiros da Tempestade, vão usar sua astúcia e habilidades musicais para salvar aquele mundo dos planos gananciosos do Molitor. Ao mesclar referências que vão agradar tanto os fãs de música como os apaixonados por fantasia, a narrativa inclui um sistema de magia inovador que apresenta músicos como verdadeiros magos do Caos e da Ordem. Enquanto uma é regida pelo rock, a outra é manipulada pela música clássica. “Cavaleiros da Tempestade” é o quarto livro de Adriano Rossi, mas marca a estreia como autor de literatura fantástica. Com personagens carismáticos e uma trama envolvente, o goiano destaca-se por suas influências de J. R. R. Tolkien, George R. R. Martin e pelo divertido universo das partidas de RPG do canal Critical Role. Os conceitos de magia e a construção de mundos únicos incorporados à trama promete agradar em cheio os leitores da alta fantasia. Com 350 páginas, o livro é da Lura Editorial.
 

O Último Endereço de Eça de Queiroz

Nesta história contada de modo nada confiável por um sujeito que aspira escrever um romance, a questão da identidade toma o primeiro plano. O narrador assume o pseudônimo Rodrigo S. M., sequestrado de “A Hora da Estrela”, de Clarice Lispector, e abandona seu passado ordinário. Decidido a cruzar o oceano em busca de, em suas palavras, "civilização", ele parte para Portugal em uma jornada que se equilibra entre a ironia cáustica e a homenagem ao panteão de escritores da literatura lusa. Seu alvo logo se torna o lendário Eça de Queiroz, cujos caminhos procura refazer atrás de inspiração para um livro. Feito um Dom Quixote lusófono, o narrador personagem precisa amargar que os cenários idealizados de suas leituras não coincidem com a realidade que o aguarda nos mais diversos destinos, o que inclui uma bizarra celebração ao aniversário de Hitler. Navegando entre a imaginação desvairada e a ironia aguda, Miguel Sanches Neto compõe um romance que ousa tratar o cânone com humor, tirando do pedestal os nomes europeus que assombram a literatura brasileira lá do outro lado do Atlântico. Jornada desmistificadora e magnética, “O Último Endereço de Eça de Queiroz” nos conduz, eletrizados, até seu luminoso desenlace. De Miguel Sanches Neto, o livro tem 184 páginas e é da Editora Companhia das Letras.

 
Notícias Relacionadas »
Comentários »
OPROGRESSONET Publicidade 1200x90