MENU

28/09/2022 às 22h41min - Atualizada em 28/09/2022 às 22h41min

Polícia desvenda tragédia familiar e indicia irmãos por morte de jovem que matou o próprio tio em Praia Norte

Assessoria
 
Dois irmãos, de 33 e 34 anos, suspeitos de envolvimento em um caso que resultou na morte de tio e sobrinho em Praia Norte, em agosto deste ano, foram indiciados pela Polícia Civil do Tocantins.

De acordo com o delegado Teofábio Alves Siqueira, os dois irmãos teriam praticado um dos homicídios para vingar a morte de outro parente que tinha sido morto pela vítima algumas horas antes em uma fazenda na zona rural de Praia Norte.

Conforme as investigações da Polícia Civil, tudo teve início na noite do dia 21 de agosto, quando a primeira vítima, Francisco da Chagas, chegou até a sede da fazenda onde morava sua irmã e pediu para pernoitar no local, pois havia ingerido bebida alcoólica e precisava descansar por algumas horas.

“Ocorre que um sobrinho da vítima, de 24 anos, já estava pernoitando na fazenda, onde havia chegado há alguns dias e estava ocupando justamente a casa em que Francisco costuma dormir”, disse o delegado Teofábio.

Temendo evitar um desentendimento, a irmã de Francisco e seu cunhado tentaram convencê-lo a passar noite em outra residência maior e que ficava na própria fazenda. Porém, Francisco não aceitou e disse que dormiria na mesma casa em que seu sobrinho já estava, e assim foi feito.

Por volta das 23 horas, o cunhado de Francisco se levantou e foi até a casa para ver se estava tudo bem, momento em que flagrou o cunhado já morto com vários ferimentos na cabeça e notou que o sobrinho da vítima tinha fugido.

Segunda morte
Logo nas primeiras horas da manhã do dia 22 de agosto, familiares e amigos da vítima se reuniram na fazenda em razão da repercussão da morte de Francisco. Segundo apurado pela polícia, eles perceberam a presença do sobrinho, o principal suspeito da morte de Francisco, e iniciaram uma perseguição que também resultou na morte do jovem.

Ele foi atingido por diversos golpes de madeira, além de chutes e socos.

Troca de mensagens via whatsapp ajuda a desvendar crime
No intuito de solucionar o caso, as equipes policiais passaram a ouvir todos os parentes dos dois mortos, que disseram inicialmente não saber sobre a morte do sobrinho, tampouco quem teria cometido o homicídio.

Com o aprofundamento das investigações e tendo indícios de que a família estaria tentado proteger os verdadeiros autores da morte do sobrinho e de Francisco, a Polícia Civil conseguiu ter acesso ao conteúdo de telefones celulares que mostravam trocas de mensagens, onde a esposa de um dos suspeitos falava com sua cunhada sobre o crime, inclusive detalhando os fatos.

Em outra troca de mensagens, desta vez entre um dos suspeitos e um terceiro, ele falava sobre o crime e tinha ciência de que estava sendo investigado, mas disse que não daria em nada.

Confronto e indiciamento
De posse do material, o delegado Teofábio ouviu novamente todos os parentes que estavam presentes na noite e também no dia em que ocorreram os dois crimes.

Desta vez, confrontados com as mensagens dos celulares, os investigados decidiram contar toda a verdade, sendo que os dois irmãos de 33 e 34 anos admitiram que mataram o jovem de 24 anos para vingar a morte de Francisco.

Os dois irmãos foram indiciados por homicídio qualificado. O inquérito foi concluído e remetido ao Ministério Público, que decidirá quais procedimentos adotará a partir de agora.

Segundo o delegado Teofabio, apesar de complexa, a investigação conseguiu esclarecer toda a dinâmica dos crimes. “A conclusão das investigações com a identificação e o indiciamento dos dois autores demonstra o comprometimento da Polícia Civil do Tocantins em solucionar todo e qualquer delito que ocorra no estado”, disse o delegado.
Notícias Relacionadas »
Comentários »