MENU

24/09/2022 às 09h47min - Atualizada em 24/09/2022 às 09h47min

Quando a impulsividade se torna um problema médico?

O Dr. Douglas Calderoni dá mais detalhes sobre o assunto.

Dr. Douglas Calderoni - Canal Doutor Ajuda
Brasil 61

Recentemente temos observado várias pessoas que escrevem, postam ou falam coisas e depois se arrependem. Muitas vezes são situações que acarretam grandes prejuízos para a vida.

Existe também àqueles que tem reações exageradas e de forma impensadas, podendo até mesmo se colocar em risco de vida. Conhece alguém assim, impulsivo? O Dr. Douglas Calderoni dá mais detalhes sobre o assunto.

A impulsividade é um padrão de comportamentos caracterizados por ações não planejadas. Pensamos e temos vontade de fazer ou falar várias coisas, mas quando refletimos melhor percebemos que aquilo não tem fundamento. 

Pessoas com aumento de impulsividade não conseguem filtrar esses pensamentos e vão rapidamente para a ação, muitas vezes se arrependendo depois. Esse tema Impulsividade sempre foi relevante porque muitas vezes esses comportamentos trazem prejuízos pessoais, sociais, familiares e chegam até mesmo a sua integridade física, mas atualmente ele se tornou ainda mais importante por causa das redes sociais. Um texto, uma foto ou mesmo um vídeo mostrando um ato impulsivo pode viralizar e se espalhar para milhares de pessoas tendo consequências desastrosas para a pessoa.

Em primeiro lugar é importante saber que a impulsividade é normal do ser humano, é uma característica da nossa personalidade. Algumas pessoas são mais impulsivas outras menos. No dia a dia, além dos exemplos da Internet que eu falei ocorrem com frequência atos impulsivos. Quem nunca comprou algo que não estava precisando? Ou ficou irritado com uma coisa sem deixar a pessoa nem terminar de falar? 

Isso é normal se ocorrer de forma eventual. Deixa de ser normal e é isso que eu quero destacar se ocorrerem com muita frequência ou com grande intensidade causando prejuízos aquela pessoa. Nesse caso a impulsividade pode ser um sintoma de uma doença e por isso deve chamar sua atenção. Eu vou citar alguns exemplos de subtipos de impulsividade para você entender melhor:

  • Transtorno Explosivo Intermitente: É a incapacidade da pessoa de lidar com o impulso de raiva e agressividade. Como agredir pessoas, ameaçar, xingar, quebrar objetos etc. Para ser caracterizado um transtorno esse comportamento deve ser frequente. Todo mundo pode ter tido um dia de fúria, mas se é só um dia não é Transtorno.
  • Oniomania: Nada mais é do que realizar compras de forma impulsiva e frequente se arrependendo posteriormente. Muitas vezes nem usando o que comprou.
  • Cleptomania: É a dificuldade de conter um impulso de pegar algo que não é seu, ou seja, furtar. Os objetos geralmente são de pequeno valor e desnecessários, mas a pessoa sente uma forte tensão, um impulso para pegar aquele objeto e um alívio posterior seguido de arrependimento.
  • Automutilações: A pessoa não consegue resistir a um impulso de se ferir de alguma forma.

Há também os que tem dificuldade de controle dos impulsos em relação ao desejo sexual e se colocam em situações bastante desagradáveis por isso, os que tem impulsos de colocar fogo como no caso da Piromania, dentre outros.

Quero deixar claro que você não precisa ter alguns desses subtipos para sofrer com a impulsividade. Se você achar que está tendo atos impulsivos com mais frequência que o normal e isso está te trazendo prejuízos a sua vida, ou conhece alguém com essas características não deixe de procurar um psicólogo e um psiquiatra. O tratamento com terapia e em alguns casos com medicação melhora muito a qualidade de vida dessas pessoas.

Para saber mais detalhes sobre o assunto, assista ao vídeo no canal Dr. Ajuda.


Notícias Relacionadas »
Comentários »