MENU

23/09/2022 às 08h54min - Atualizada em 23/09/2022 às 08h54min

Celular segue como aparelho mais utilizado para acesso à internet no Brasil

A televisão ganhou espaço em função da popularização das Smart TVs e dos serviços de streaming

Ascom/MCom
Foto: Pablo Le Roy/MCom

  
O telefone celular segue como principal equipamento para acesso à internet no Brasil. Segundo os resultados do módulo suplementar “Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal” da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), relativos ao ano de 2021, o aparelho é utilizado em 99,5% dos domicílios com acesso à Internet.

Atrás do celular aparece a televisão, opção de acesso mais utilizada em 44,4% dos domicílios, alta expressiva de 12,1 pontos percentuais em relação a pesquisa de 2019 (32,3%). Por outro lado, o percentual de domicílios com acesso à TV por assinatura caiu de 30,3% para 27,7% do total de domicílios com TV, o que pode indicar uma preferência do consumidor pelos serviços de streaming.

"Os dados da PNAD Contínua TIC vêm para somar e trazer mais uma orientação para o nosso trabalho, que é voltado para a criação das políticas públicas de telecomunicações e radiodifusão", afirmou o ministro das Comunicações, Fábio Faria. A Pesquisa tem como objetivo principal o levantamento de informações conjunturais sobre as tendências e flutuações da força de trabalho brasileira.

DIGITALIZAÇÃO – Em 2019, havia 61,5 milhões de domicílios com conversor de sinal digital para televisão aberta, o equivalente a 89,9% dos domicílios com televisores no país. Já em 2021, são 62,3 milhões de domicílios, o que equivale de 90,9% dos domicílios com TV. Essa proporção cresceu na área urbana, de 92,6% para 92,9% e, com mais intensidade, na rural, onde saiu de 71,9% para 76,6%.

Cerca de 22,6% dos domicílios do país (ou 15,7 milhões) possuem recepção de TV por antena parabólica, uma redução de 3,9 pontos percentuais (ou 2,4 milhões) em relação a 2019 (18,1 milhões). O dado merece destaque em função da distribuição de kits para famílias que possuem o equipamento inscritas no CadÚnico, com o objetivo de evitar interferências com o sinal da quinta geração de redes móveis. A medida é prevista no edital do leilão do 5G, realizado em novembro do ano passado, como contrapartida para as empresas vencedoras.

PNAD CONTÍNUA – A realização do módulo suplementar da pesquisa é resultado de parceria entre o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Ministério das Comunicações (MCom). A edição de 2021 também contou com o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).

Arte: Denis Silvestre/MCom

 


Notícias Relacionadas »
Comentários »