MENU

19/09/2022 às 19h50min - Atualizada em 19/09/2022 às 19h50min

Índice de Confiança do Empresário Industrial maranhense em agosto foi o maior do ano

A pesquisa é realizada mensalmente pela Federação das Indústrias (FIEMA) em parceria com a CNI

Coordenadoria de Comunicação e Eventos do Sistema FIEMA
Foto: Divulgação
 
SÃO LUÍS – O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) do Maranhão alcançou 63,4 pontos em agosto, 1,2 ponto maior quando comparado com julho. O indicador do estado ficou maior do que o do Brasil (59,8) e do Nordeste (61,5). Além de um indicador geral, o ICEI traz ainda uma análise setorial da construção civil e da indústria extrativa e de transformação. Os resultados acima de 50 pontos indicam que os empresários industriais se mantêm confiantes.

Na análise por setor, a indústria extrativa e de transformação maranhense (61,7) perdeu 2,2 pontos na comparação com julho passado. Já a construção civil variou 4,4 pontos positivos, puxando para cima o ICEI geral. Em todos os três indicadores – extrativa e de transformação, construção civil e ICEI geral - a variação relativa a agosto/2021 foi muito significativa, com maior destaque para a construção civil (+14 pontos).

O ICEI mede as condições atuais a as expectativas relacionadas à economia, ao Estado e à empresa. O indicador geral que mede as condições atuais registrou queda de 3,7 pontos em relação a julho. No entanto, aumentou 4,4 pontos na comparação com o mesmo período do ano passado.  

Quando a percepção do empresário é sobre as condições atuais da economia brasileira, nos dois setores industriais analisados houve queda de 8,3 pontos em comparação com julho. Porém, a avaliação é positiva em comparação a agosto do ano passado.  

Já quanto às condições atuais do estado (46,7) e da empresa (57,6), a confiança também diminuiu em relação a julho. No entanto, os indicadores foram maiores quando comparados a agosto de 2021.  

Otimismo – Os empresários maranhenses demonstraram otimismo para os próximos seis meses em relação à economia, ao estado e à empresa. Todos os indicadores ficaram acima dos 50 pontos. O ICEI geral foi superior a 64 pontos para todas as indústrias analisadas, com destaque para a construção civil (72,2)  

Já a expectativa quanto à economia brasileira foi de -2,1 no índice geral e de -6,1 pontos na indústria extrativa e de transformação. No entanto, o impacto da queda foi atenuado com a variação positiva na indústria de construção civil (+2,1 pontos).  

Por fim, a expectativa com relação ao estado teve variação negativa somente na indústria extrativa e de transformação (-1,6 pontos). Contrariamente, a expectativa dos empresários quanto às empresas variou positivamente em todas as unidades industriais, seja na comparação com o mês anterior ou com o mesmo período do ano passado.  

Além da publicação mensal do ICEI em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a Federação das Indústrias do Estado Maranhão (FIEMA) publica regularmente análises setoriais, relatórios, pesquisas e informativos sobre a conjuntura econômica maranhense. Outras informações podem ser acessadas  https://www.fiema.org.br/publicacoes/. 

Notícias Relacionadas »
Comentários »