MENU

10/09/2022 às 00h31min - Atualizada em 10/09/2022 às 00h31min

Sobre ser radialista...

100 anos de rádio no Brasil

Raimundo Primeiro
 
Raimundo Primeiro (*)

Ser radialista, é viver, todos os dias, sensações diferentes, divulgando os acontecimentos que marcam a comunidade na qual se encontra inserido, ou seja, fazendo a voz rouca que vem das ruas ganhar projeção, chegando até aos canais competentes e, ao mesmo tempo, ao conhecimento das autoridades.

O radialista é um permanente observador e difusor das ações inerentes ao dia a dia de sua cidade. Muitos deles com programas jornalísticos, informando e denunciando. Outros, entretendo, por meio de programas musicais e humorísticos. Todos, enfim, com o propósito de irradiar o melhor, por meio das emissoras nas quais atuam.

Ser radialista é, muitas das vezes, ser artista, compositor, cantor, poeta; intelectual. Ou, simplesmente, um cantador do povo. Enfim, um narrador de fatos!

Parafraseando Caetano Veloso: “uma lembrança forte é minha mãe ouvindo rádio, cantando e me ensinando a amar a música brasileira”.

Minha mãe, Adinê, conhecida por dona Dina, também ouve rádio. Gosta dos programas religiosos e informativos.

Ser radialista, é, indubitavelmente, interagir-se com os radiouvintes. Antes, por intermédio das cartas. Hoje em dia, porém, por meio das mensagens eletrônicas.

O advento da Internet possibilitou um infinito mundo “radialisticamente” falando.

O rádio, apesar de tudo, ainda permanece vivo.

Sou um apaixonado por rádio. Ouço diversas emissoras de rádios e, igualmente, admiro vários radialistas.

Lembro do tempo que passei pelas rádios Imperatriz AM, Nativa FM, Cultura FM, Karajás AM e Capital AM (em Imperatriz); Cultura AM e Marcone FM (em Açailândia).

Parabéns, colegas radialistas de Imperatriz e região pela passagem do Dia da Primeira Transmissão de Rádio no Brasil, em 7 de setembro de 1922, um discurso do então presidente da República, Epitácio Pessoa, em homenagem ao centenário da República. Entretanto, a primeira emissora de rádio do país, foi a “Rádio Sociedade do Rio de Janeiro”, instalada em 20 de abril de 1923, transformada em Rádio MEC.

Hoje em dia, a emissora de rádio mais antiga do Brasil é a Tupi, do Rio de Janeiro, inaugurada pelo jornalista Assis Chateaubriand, em 25 de setembro de 1935, com a presença do inventor do rádio, Guglielmo Marcone. Com 86 anos, a Rádio Tupi é líder de audiência, sempre inovando, acompanhando a evolução dos tempos.

Sou jornalista/radialista por amor, por vocação, atuando com paixão – e primando por profissionalismo e ética no exercício da profissão.

Viva, pois, o rádio brasileiro e, claro, o rádio imperatrizense!
_______________________________________________________________________________________
(*) Raimundo Primeiro, pesquisador das áreas empresarial e dos negócios, além de j
ornalista e radialista

Notícias Relacionadas »
Comentários »