MENU

10/09/2022 às 00h27min - Atualizada em 10/09/2022 às 00h27min

Universo Aberto, crônicas, contos, o parecer

Elson Araújo
 
Quem escreve quer ser lido, comentado, criticado. Um retorno, por mais simples que seja, já costuma deixar o escriba satisfeito, mesmo não sendo um comentário favorável. Acredito que seja assim em muitos cantos do País, e do mundo.

Há poucos dias foi anunciada a obra vencedora do Prêmio Literário Academia Imperatrizense de Letras. Ainda referente a 2021, o jovem jornalista, professor e escritor Domingos Alves de Almeida foi o laureado com a obra (peça de teatro) “ Xica do Sertão de Terra e Puaca”.

Também foram distinguidos os escritores Marcos Fábio, jornalista e professor, com “Palavras Pelo Avesso” que é um livro de crônicas, e a jornalista Hyana Reis que publicou “Amores em Tempo de @”, do mesmo gênero literário.

Foi um dos concursos mais disputados de todos os tempos com 16 inscrições. Obras de todos os gêneros. Até trabalhos científicos foram inscritos, mas como a regra do certame só admite literatura, foram lidos, apreciados, contudo, terminaram ficando fora da disputa.

Participei pela segunda vez do prêmio, agora com o livro Universo Aberto, crônicas e contos. Diferente da vez passada, quando concorremos com a coletiva Quintessência: antologia poética (Raimundo Trajano, Weliton Carvalho, Ribamar Silva, Lua Serena e Elson Araújo), Universo Aberto é uma obra individual.

A grande novidade inserida pelo comando do concurso de 2021 foi que cada obra participante recebeu um parecer da comissão julgadora, formada por três notáveis do mundo das letras, Liratelma Alves, Gilberto Freire de Santana e Alexandre Zarate Maciel.

Fora a obra vencedora, e as outras duas distinguidas com o selo literário academia imperatrizense de letras, a posição dos outros livros, incluindo o meu Universo Aberto, não foi divulgada; contudo cada participante teve acesso ao parecer sobre sua cria. Sem dúvida um prêmio à parte, ao se considerar o nível dos julgadores e as observações feitas como contribuição para melhoria da caminhada literária de cada autor.

No nosso espaço de hoje aqui em O Progresso torno público o parecer da comissão julgadora do Prêmio Literário Academia Imperatrizense de Letras 2021 sobre Universo Aberto, crônicas e contos.

Ei-lo:

Concurso Academia Imperatrizense de Letras

Livro analisado/autor: Universo Aberto (ElsonMAraújo)

Gênero: Crônicas, contos, aforismos.

Parecer: A obra combina aforismos, reflexões íntimas e sociais, crônicas, com uma linguagem jornalística bem pontuada e clara. As reflexões vagueiam de questões filosóficas como o tempo, a condição de fragilidade do humano, a natureza da região, o universo. Materiais úteis para o universo da crônica, no qual o autor se sai melhor do que nos aforismos, onde, em vários momentos, redundam em clichês, como nos exemplos: “Entre o céu e a terra” (p.21): “Entre o Céu e o chão, as estrelas brilhavam. Indicavam o caminho dos sonhos que foram perdidos pelo caminho”. Ou quando trata da natureza, em algumas crônicas, com certo exagero de adjetivos. “Um encanto de região” (p. 113): “Eis o Milagre: emoldurado pelo azul do céu, o sol brilha mais, o vento venta mais. As pessoas ficam iluminadas, e até mais atraentes”. Os melhores momentos do texto de Elson, no entanto, acontecem nas crônicas, onde ele se apropria de personagens e expressões populares, como é o caso de “Confusão no cartório”, “O menino, o demônio e a loucura” e “As aventuras de Tião Vaqueiro”. (final)

Universo Aberto, crônicas e contos foi lançado no final de 2021 com perspectiva do lançamento de uma segunda edição ainda este ano.
Notícias Relacionadas »
Comentários »