MENU

08/09/2022 às 17h46min - Atualizada em 08/09/2022 às 17h46min

IEL Maranhão comemora 52 anos com ofertas de estágio, educação executiva e consultoria empresarial

A instituição, que integra o Sistema FIEMA, busca por qualidade e inovação como um diferencial competitivo para as empresas que utilizam seus serviços

Coordenadoria de Comunicação e Eventos do Sistema FIEMA
Equipe do IEL-MA - Foto: Divulgação
 
SÃO LUÍS – O Instituto Euvaldo Lodi (IEL-MA) completou quarta-feira (07/09) 52 anos de criação e segue firme no propósito de aumentar a competitividade das empresas locais por meio de soluções nas áreas de carreira e estágio, educação empresarial e gestão empresarial. Do estágio às consultorias empresariais, o IEL-MA prima pela qualidade e inovação na oferta de serviços aos setores produtivos. 

Em 1969, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) criou o IEL Nacional. No ano seguinte, nasceu o IEL Maranhão, um braço do Sistema FIEMA (SESI, SENAI e Federação). De lá pra cá, o Instituto tem lançado mão de novas ferramentas de trabalho, mas a sua missão permancece inalterada: promover a integração entre os setores produtivos, governamentais, sindicais, educacionais, de pesquisa e de desenvolvimento. O IEL Maranhão é um importante elo entre a demanda empresarial e a oferta de conhecimento.  

Agilidade na mobilização de empregados 
Passaporte Industrial é uma ferramenta de gestão que o IEL-MA disponibiliza a partir deste ano e que facilita o processo de contratação de funcionários. Na plataforma estão disponíveis todos os dados dos candidatos, de treinamentos a exames médicos que por lei precisam estar em dia. Com isso, empresas terceirizadas que atendem grandes companhias com serviços temporários de alta rotatividade ganham agilidade. O tempo médio entre o recebimento da demanda e a seleção do candidato pode ser reduzido de 10 dias para apenas 24 horas.  

 O Passaporte Industrial foi desenvolvido pelo IEL do Espírito Santo e desde julho deste ano o IEL Maranhão também passou a comercializar esse serviço, não apenas para a área industrial, mas para toda a empresa que busque por mais produtividade, segurança e economia no processo de contratação. A ferramenta é digital e dá acesso a dados confiáveis de treinamentos e saúde ocupacional. 

 O serviço atende empresas contratantes/complexos industriais, empresas contratadas/terceirizadas dos grandes complexos industriais e empresas homologadas/prestadoras de serviços de treinamentos e de saúde ocupacional. Ao interligar esses três atores por meio digital, o Passaporte Industrial corrige distorções nas contratações de profissionais, como a morosidade do processo, repetição de treinamentos e exames médicos, além do alto custo da mobilização.
  
 “A plataforma Passaporte Industrial cria uma rede com uma ampla base de trabalhadores qualificados aptos a serem contratados em um menor tempo e com redução nos custos”, sintetizou a coordenadora regional do IEL Maranhão, Michele Frota do Vale. É o uso da tecnologia e da inovação a favor das empresas que precisam contratar e não podem esperar por processos longos.  

Do estágio à capacitação empresarial 
Apenas nos últimos cinco anos, o IEL Maranhão colocou nas empresas de São Luís e Imperatriz mais de 4.700 estagiários. Ao contrário de outros agentes de recrutamento, o IEL-MA vai além da triagem de candidatos no sistema online. Apenas depois de passar por entrevista com profissional de psicologia o candidato pode seguir para a etapa final do processo, se for o caso.  

O IEL-MA também se preocupa com o tipo de trabalho que está sendo ofertado e com a relação do estagiário com a empresa contratante. O objetivo é evitar que empresas absorvam estagiários para suprir vagas que não agregam conhecimento ou que tentam substituir mão de obra profissional. 

“O IEL nasceu para promover a interação entre o setor produtivo e a academia. Por isso, para nós o estágio é uma maneira de contribuir para a formação do futuro colaborador da empresa. Não é meramente para ocupar qualquer espaço ou vaga de profissionais por custos menores”, ressaltou Michele. Atualmente, as áreas que mais demandam estagiários no IEL-MA são de Administração e Pedagogia.

Além dos estágios, obrigatórios ou não, a instituição possui o Programa IEL Jovem Aprendiz. Essa é uma forma de inserção dos jovens no mercado de trabalho. Podem participar pessoas com idade entre 14 e 24 anos incompletos que estejam cursando ou tenham concluído o Ensino Fundamental ou Médio. O Jovem Aprendiz é um requisito legal. Com a seleção, capacitação e integração dos aprendizes, o IEL-MA apoia as empresas no cumprimento da legislação.  

Na trilha de ofertas do IEL-MA, além do estágio a instituição dispõe de uma série de cursos na área de educação executiva. Em São Luís e Imperatriz são ministrados cursos presenciais em áreas como licitação e contratos, vendas consultivas, inteligência de mercado, compliance trabalhista e sobre a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Há também cursos online que podem ser adquiridos por profissionais ou empresas.  

 “O IEL-MA esteve sempre presente no meu desenvolvimento profissional e pessoal. Os cursos possuem material de qualidade, conteúdo atualizado e uma equipe fantástica. Enriquecem nossa formação e desperta nosso olhar para ir além. O IEL já me proporcionou várias oportunidades no mercado e sou muito agradecida aos responsáveis pela condução dos cursos”, reconheceu Helediana Muniz, que participou de vários cursos de capacitação oferecidos pelo IEL.  

 As empresas também podem ter acesso a consultorias realizadas com expertise do IEL-MA e emprego de metodologias focadas em soluções práticas para as empresas. É o caso do Programa de Certificação de Empresas Maranhenses (PROCEM), uma ferramenta do Programa de Desenvolvimento de Fornecedores (PDF) que tem as capacitações realizadas pelo IEL.  

Um exemplo é o da empresa Lucena, que teve inúmeros benefícios depois da implementação do sistema de gestão da qualidade. Entre eles a otimização de processos, redução de custos, engajamento de profissionais, boas práticas de gestão e relacionamento entre clientes e fornecedores. “Chegar a um Sistema de Gestão de Qualidade Ativo e à certificação não teria sido possível sem o PROCEM”, concluiu Julio César Durans Júnior, analista de gestão da qualidade na empresa Lucena. 

Notícias Relacionadas »
Comentários »