MENU

24/08/2022 às 18h42min - Atualizada em 24/08/2022 às 18h42min

Livro destaca pesquisas em sociologia e antropologia urbana nas cidades de São Bernardo, São Luís e Imperatriz

Por: Jarina Milena
Ufma
Foto: Divulgação
 
Lançado neste ano, o livro “Pensando as Cidades Brasileiras no Contemporâneo” aborda pesquisas em sociologia e antropologia urbana em cidades brasileiras, com destaque para o Maranhão, especialmente nas cidades de São Bernardo, São Luís e Imperatriz. A obra foi organizada pelos professores Jesus Marmanillo Pereira, do Câmpus de Imperatriz; e Flávio Leonel Abreu da Silveira, da Universidade Federal do Pará (UFPA).

A obra é composta por artigos de importantes pesquisadores de diferentes instituições de todas as regiões do Brasil. A escolha do tema está conectada à história e atuação do grupo de pesquisa coordenado pelo professor Jesus Pereira, no Centro de Ciências de Imperatriz, no Laboratório de Estudos e Pesquisas sobre Cidades e Imagens (Laepci), que coordena desde 2016. O grupo possui duas linhas de pesquisa: “Produção e articulação de pesquisas sobre cidades maranhenses”; e “Conexão, diálogo e inserção”, que se relaciona à produção de estudos em uma rede de pesquisadores a nível nacional.

O processo de produção e organização do livro durou, ao menos, dez anos de participação em grupos de trabalho que debatem sobre o tema, nos eventos da Associação Brasileira de Antropologia e Sociedade Brasileira de Antropologia. Portanto, a obra reflete o debate contemporâneo sobre as cidades brasileiras.

Os professores organizadores do material verificaram, durante o processo de seleção e organização, que o “urbano” pode ser enquadrado em três grandes eixos. O primeiro coloca a cidade enquanto campo para análise das relações entre humanos e não humanos, ou seja, retrata o papel da natureza na formação de uma “cultura urbana”. 

O segundo eixo envolve pesquisas que focam em sociabilidades urbanas geradas em volta de fenômenos como agrupamentos de jovens, processos de estigmatização, conflitos, festividades, além de modos de ocupar e construir a cidade, que também são levadas em consideração. O terceiro eixo contempla as pesquisas em antropologia e sociologia que abrangem recursos visuais. De modo geral, as pesquisas abordam as cidades em relação às imagens produzidas nas memórias de seus habitantes, nos muros e nas maneiras como os atores narram seus cotidianos.

O livro busca mostrar uma visão complexa e aprofundada sobre as questões cotidianas da cidade, e enfatiza a importância das relações humanas e não humanas no processo de construção e representação da cidade, independente das ações de seus habitantes. Segundo Pereira, esses estudos são importantes para a produção de conhecimentos que irão subsidiar a elaboração de políticas públicas.

“Alguns dos problemas e questões abordados no livro são as enchentes em canais, abandono de animais nas ruas, formação de agrupamentos juvenis e religiosos, a construção de conjuntos residenciais, entre outros, que trazem dados e abordagens para auxiliar na compreensão cultural e social desses problemas que atingem as principais cidades brasileiras”, completou o docente.

O livro está disponível gratuitamente no site do Laepci e na página da obra no site da Edufma.

Notícias Relacionadas »
Comentários »