MENU

12/08/2022 às 22h29min - Atualizada em 12/08/2022 às 22h29min

Morador de pequena cidade do Tocantins é alvo da PF por armazenar imagens pornográficas

Suspeito usava redes sociais e deep web para praticar os crimes

Da Assessoria
Investigação começou em 2021 - Foto: Divulgação / Polícia Federal
 
A Polícia Federal deflagrou, nesta sexta-feira (12/8) a Operação “Guardião da Inocência II”, com objetivo de apurar o cometimento do crime de armazenamento e compartilhamento de imagens pornográficas envolvendo criança ou adolescente.

Quatro policiais federais cumprem um mandado de busca e apreensão e outras medidas na pequena cidade de São Valério do Tocantins, que tem cerca de 4 mil habitantes, segundo o IBGE.

A investigação começou em 2021, após notícia encaminhada pela organização não governamental americana National Center for Missing and Exploited Children – NCMEC, por meio de cooperação internacional, onde se constatou que uma pessoa armazenou e compartilhou imagens de pornografia infantil entre os anos de 2020 e 2021.

O suspeito teria se utilizado das redes sociais, aplicativos de troca de mensagens e da deep web para praticar os crimes de armazenamento, posse e compartilhamento de imagens contendo cenas de sexo explícito, envolvendo criança e adolescente, conforme previsto nos artigos 241-A e 241-B, da Lei 8.069/90 – Estatuto da Criança e do Adolescente. Existe ainda a possibilidade da ocorrência da prática de outros crimes mais graves, o que será objeto de análise dos materiais apreendidos.

A operação deflagrada pela Superintendência Regional da Polícia Federal no Tocantins tem como objetivo garantir os direitos e a proteção de crianças e adolescentes, fazendo valer o texto legal estabelecido no Estatuto da Criança e do Adolescente.

O suspeito poderá responder pelos crimes previstos nos artigos 241-A e 241-B, do Estatuto da Criança e do Adolescente, com penas que, somadas, podem ultrapassar 10 anos de reclusão.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »