MENU

29/06/2022 às 22h24min - Atualizada em 29/06/2022 às 22h24min

Garimpo ilegal devasta importante sítio arqueológico no Tocantins; Polícia Federal investiga

Sítio arqueológico denominado Ruínas da Chapada dos Negros, antigo Arraial de Mineração de Ouro é datado de 1730

Assessoria
Garimpo ilegal devastou parte do sítio arqueológico - Foto: Divulgação / PF
 
A Polícia Federal no Tocantins realizou nesta quarta-feira (29/6) uma operação na região de Arraias, sudeste do estado, com o objetivo de coibir possíveis lavras de garimpo no sítio arqueológico denominado Ruínas da Chapada dos Negros, antigo Arraial de Mineração de Ouro, fundado em 1730.

A operação Ruínas conta com o apoio do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN).

Na localidade encontram-se monumentos arqueológicos como as ruínas da Igreja do Rosário, da Senzala, da Casa do Ouro e o Cemitério dos Escravizados. Esse sítio ocupa uma área de aproximadamente 150 hectares, com patrimônio arqueológico protegido pela Lei 3.924/61, sendo considerado de acordo com o art. 20, da CF, bem da União.

A Justiça Federal de Gurupi expediu medida cautelar autorizando a entrada no imóvel rural a fim de identificar os danos provocados no respectivo sítio arqueológico pela atividade garimpeira.

No local foi identificado um garimpo ilegal, ao lado do patrimônio cultural denominado Buraco do Testa, sendo constatado deterioração no sítio arqueológico causado pelo garimpo, com danos causados por maquinários de grande porte.

A Polícia Federal iniciou buscas para encontrar os autores do delito. Serão feitas novas perícias para mensurar tanto o dano ambiental como o dano ao patrimônio histórico do sítio arqueológico.

Uma vez identificados, os responsáveis poderão responder pelos crimes previstos nos art. 62, 63 e 64, da Lei 9605/98.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »