MENU

17/06/2022 às 12h16min - Atualizada em 19/06/2022 às 00h01min

Com crescimento de 60% da adesão entre pequenas empresas, outsourcing de equipamentos de TI pode ser aliado do crescimento empresarial

Modelo de negócio da Arklok permite maior autonomia do capital de giro para o setor SMB e promove baixa nos custos

SALA DA NOTÍCIA Assessoria de Imprensa
Empreender é um desafio em diversos aspectos, sobretudo, para os pequenos e médios empresários. Entre os inúmeros custos, a aquisição do parque tecnológico da companhia ganha destaque e pode consumir boa parte do capital de giro. De acordo com o último levantamento realizado pela TIC Empresas, do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.BR), houve um crescimento total ou parcial na adesão de contratos oferecidos por empresas como a Arklok, que garantem a terceirização completa da estrutura de tecnologia. A pesquisa mostra que 60% das pequenas empresas aderiram ao serviço, já entre as companhias de médio porte foram 63%.  

Os custos para a contratação de profissionais de TI exclusivos para o suporte e gerenciamento de equipamentos são altos. Para essas as empresas que disputam por um espaço maior no mercado as contas podem não fechar considerando essas necessidades, por isso, a terceirização de equipamentos tem conquistada cada vez mais espaço entre o setor SMB (small and medium-sized businesses), conforme explica Renan Torres, Vice-presidente da Arklok.

“Antes, no imaginário popular, era comum observarmos essa falsa ideia de que o outsourcing de equipamentos de TI só é benéfico para grandes empresas. No entanto, com a difusão da pandemia por exemplo, esse modelo de serviço se tornou cada vez mais comum e as pequenas empresas começaram a entender o quão positiva a terceirização pode ser, sobretudo,considerando que não consumimos a linha de crédito da companhia e desafogamos o capital de giro da empresa, crucial para as pequenas e médias empresas’’.

Entre as vantagens, destaca-se a expertise garantida pelo suporte outsourcing que em vez de ter um funcionário multitarefas, a empresa terá à disposição uma equipe altamente capacitada para oferecer as melhores soluções para demandas específicas, a flexibilidade em poder adaptar as suas soluções ao volume de negócios, sendo mais ágil nas demandas do mercado e gastando menos. Além do aumento da competitividade mercadológica, afinal, a gestão correta do sistema permite mais eficiência e segurança, garantindo a maximização dos resultados da empresa.

O capital de giro para pequenas empresas é o elemento que promove a liquidez necessária para o negócio manter sua dinâmica operacional. Quando ele é baixo, a organização sente uma enorme dificuldade em honrar compromissos com fornecedores e de manter o seu negócio ativo e crescendo. Arcar com todos os custos de uma organização e ainda garantir que exista dinheiro para ser injetado na expansão da empresa é um desafio para os que estão começando no mercado, por isso, é crucial que as empresas de serviços estejam dispostas a facilitar e otimizar a jornada desse pequeno e médio empreendedor.

“É crucial que as prestadoras de serviços entendam a importância de investir e incentivar o pequeno e médio empreendedor. Além de facilitar a viabilização de negócios que serão uteis para o mercado, contribuímos também para o desenvolvimento do país. Na Arklok, pensamos e desenvolvemos soluções que contemplam esse mercado SMB e acreditamos no potencial de retorno desse tipo de contrato’’, conclui Renan Torres.

Sobre a Arklok
Fundada em 2009 pela CEO Andrea Rivetti, a Arklok é uma das principais empresas no mercado de full outsourcing de infraestrutura de TI do Brasil. Ou seja, faz locação de equipamentos de tecnologia, como notebooks, desktop, impressoras, smartphones, entre outros itens para empresas com o objetivo de reduzir custos da infraestrutura corporativa. Com mais de 200 mil itens alocados e 900 clientes em carteira, a Arklok está presente em mais de 600 cidades em todo o território nacional.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »