MENU

14/06/2022 às 11h51min - Atualizada em 15/06/2022 às 00h01min

FIA Business School contribui para tornar a criatividade parte da rotina das empresas

Estudos e projetos da escola de negócios impulsionam o uso da criatividade por empresas e governos. Na era da inteligência artificial, nunca foi tão importante ser criativo

SALA DA NOTÍCIA FIA Business School
Banco de imagens

O Brasil tem traços culturais e de identidade nacional que favorecem o potencial criativo de seu povo. Mas como aplicar a criatividade nas empresas e governos?

Somos por definição um país criativo e temos usado essa característica essencialmente humana para fazer girar a roda do nosso PIB. A economia criativa (que inclui as indústrias do cinema, design, movimentos culturais e outras), representa, segundo dados da FIRJAN, cerca de 2,6% do PIB do país. O núcleo econômico da indústria criativa brasileiro é o estado de São Paulo e, de acordo com a InvesteSP, as mais de 150 mil empresas do setor representam 3,9% do PIB do Estado, e faturam em conjunto  mais de R$20 bilhões por ano. 

Pensando neste potencial, a FIA Business School amplia os estudos e projetos sobre o tema. De acordo com Luís Fernando Guedes, consultor e professor da FIA Business School e autor do livro "Criatividade, modelos mentais e inovação", a receptividade e tendência para a socialização, o bom-humor e a pluralidade brasileira fazem com que a criatividade tenha grande potencial de uso no ambiente corporativo. "Na FIA Business School entendemos a criatividade como a porta de entrada da inovação, na medida em que por meio dela se capturam novas possibilidades de entregar valor para a companhia, para os clientes e para a sociedade.

Instrumentalizamos nossos alunos para levar ao seu campo de atuação as ferramentas, técnicas e, mais do que isso, o modelo mental da criatividade. Nossos projetos de consultoria se beneficiam do conhecimento acadêmico profundo e as aulas são entremeadas de exemplos práticos da solução criativa de problemas, vividos em grande parte pelos próprios professores", comenta Guedes.


De forma prática, Guedes cita um case de sucesso que mostra a necessidade de inserir a criatividade de forma consistente nas empresas. "A Pixar, por exemplo, era originalmente uma empresa de softwares de animação. Alguns de seus colaboradores tiveram a ideia e a coragem de elaborar alguns filmes simples, bem curtos, para demonstrar a clientes ou futuros clientes as capacidades do software. A tímida, no início, fluência em storytelling, somada à já consolidada habilidade tecnológica, foram decisivas para tornar a iniciativa um produto de fato e, depois de muito esforço e talento gerencial, um sucesso incrível. Hoje é sem dúvida um dos mais aclamados estúdios da história", comenta.

Para a FIA Business School as empresas que inovam se destacam daquelas que não inovam por terem uma visão que antecipa o mercado e porque promovem melhorias reais, nas dimensões de desempenho que importam para os clientes. A escola contribui com o adensamento do conhecimento nessa área por meio dos núcleos de atuação, que formam profissionais capacitados para aplicar métodos criativos, sejam quais forem suas linhas de atividade. "A empresa inovadora é por excelência inquieta com o próprio sucesso e usa o excedente de capital decorrente das suas inovações como propulsor de novas conquistas. Conectamos centros de pesquisa, parceiros da cadeia de valor e governo com o objetivo de fomentar a criatividade e o encorajamento de uma cultura voltada à inovação, em que os melhores prevalecem, como resultado do valor que oferecem para a sociedade", conclui Guedes.

 

Sobre a FIA Business School

Criada em 1980, a FIA Business School é referência entre as escolas globais de negócios do Brasil e da América Latina.

Atua em educação executiva, pesquisa e consultoria com soluções customizadas para organizações do setor privado e público - uma referência no Brasil e no mundo. Porque ensina você a transformar conhecimento em resultados que mudam o jogo - no mundo dos negócios e na sociedade.

Sua fundação se deu por professores da Faculdade de Administração, Economia e Contabilidade (FEA-USP) com a missão de desenvolver e disseminar o conhecimento e as melhores práticas em Administração. Os MBAs da FIA são credenciados pela AMBA (Association of MBAs), sediada em Londres e, desde 2004, frequenta as publicações internacionais de melhores MBAs, incluindo Financial Times e EuropeanCEO.

A graduação em Administração de Empresas foi avaliada pelo ENADE como a melhor em Administração em Negócios na cidade de São Paulo, e alcançou por três vezes consecutivas 5 estrelas na avaliação do Guia do Estudante.   

 

Notícias Relacionadas »
Comentários »