MENU

03/06/2022 às 17h56min - Atualizada em 03/06/2022 às 17h56min

Bispos do Maranhão reúnem-se com o Papa Francisco e mostram a realidade do estado

Ascom Regional NE5 e Vatican News | Adaptado Pascom – Diocese de Imperatriz
Homenagem de todos os bispos. O Papa Francisco recebe quadro com sua imagem pintada em azulejos coloniais - Fotos: @VATICANMEDIA
 
Na manhã desta quinta, 02 de junho, os bispos do Maranhão foram recebidos pelo Santo Padre, Papa Francisco. O momento faz parte da programação da Visita Ad Limina. Alegres pelo encontro, os bispos presentearam o pontífice com um quadro que traz a imagem do Papa Francisco pintada em azulejos coloniais, produto símbolo da arquitetura da cidade de São Luís e de algumas cidades maranhenses.

O presidente do Regional Nordeste 5 da CNBB e bispo da diocese de Coroatá, dom Sebastião Bandeira, compartilhou o sentimento ao descrever a audiência com Francisco como “muito edificadora” para o ministério episcopal. Da parte brasileira, veio a demonstração de “comunhão ao Papa, aos seus gestos, às palavras, à mensagem, ao projeto de Igreja que tem sempre incentivado a todos nós”.

Dom Francisco Lima, bispo de Carolina, também ofertou ao Papa Francisco um exemplar dos Sermões aos Peixes, de Padre Antônio Vieira, onde o autor denunciava a corrupção e as injustiças existentes no Maranhão em sua época.

Dom Vilsom Basso, bispo de Imperatriz, resumiu o encontro com o Papa Francisco, o ponto alto da visita ad Limina ao Vaticano. “Sentir a sua santidade, a sua paternidade, a sua palavra de ânimo e coragem para seguirmos adiante, evangelizando, fazendo o bem, espalhando a paz” partilha o bispo.

Missão da Igreja junto aos povos indígenas, pescadores e quebradeiras de coco
Dom Gilberto Pastana de Oliveira, arcebispo de São Luís foi quem também introduziu o grupo, repassando as preocupações e dificuldades da Igreja no Maranhão, assim como as esperanças e o compromisso dos bispos diante do Povo de Deus e àqueles que mais sofrem. “Mais uma vez, como tem acontecido nas outras audiências com os brasileiros, o Pontífice deu grande abertura para perguntas e testemunhos.”

Dom José Valdeci Santos Mendes, bispo de Brejo, contou que o Papa abordou vários argumentos com os bispos, como o dos sacramentos, da família e da criatividade na Igreja, sempre num “espírito fraterno e de muita alegria”, numa “expressão de sinodalidade”. E os bispos do Maranhão sentiram em Francisco o apoio para prosseguir evangelizando junto aos mais vulneráveis, inclusive diante das dificuldades impostas pelas diversas realidades no Maranhão.

“Destacamos os grandes desafios que nós enfrentamos com as comunidades indígenas, os povos tradicionais, as comunidades de pescadores e de quebradeiras de coco, então, fomos assim destacando o avanço do agronegócio que vai cada vez mais empurrando as nossas comunidades. Nós colocamos todas essas preocupações e ele ouviu atentamente, manifestou o seu apreço em nos ajudar a caminhar nessas realidades.”

A visita AD Limina, termina neste sábado (4), com uma visita ao Colégio Pio Brasileiro em Roma. 

Quando Francisco encontra Francisco...
Nesses tempos em que sermões são ignorados e peixes não existem, enquanto alimento, o primeiro da alma, o segundo, do corpo, a eternidade floresce... Esse foi o caminho, a veia graciosa a pecorrer distâncias entre a cidade de Carolina (MA) e o Vaticano, a levar durante o encontro VISITA AD LIMINA de dom Francisco Lima com o Santo Padre, a quem dedicou com muita sabedoria um exemplar, verdadeira relíqua, do livro Sermão de Santo Antonio aos Peixes, do eterno Antonio Vieira.

A todos que o conhecemos, a felicidade de ser parte como testemunho da caminhada, ascensão e vida, de um dos mais brilhantes exemplares que a vida a partir de Gênesis, 1,28 nos deu.

Notícias Relacionadas »
Comentários »