MENU

24/05/2022 às 21h43min - Atualizada em 24/05/2022 às 21h43min

Imperatriz vive onda de causas trabalhistas

Em uma das causas, um jogador pediu adicional noturno

Dema de Oliveira
Vinicius Saldanha ganhou causa trabalhista contra o Imperatriz - Foto: Arquivo/O PROGRESSO
 
A Sociedade Imperatriz de Desportos (SID) voltou a viver uma grande onda de causas trabalhistas, e nos últimos dias, quatro novas causas chegaram ao conhecimento da diretoria Colorada.

Uma das causas trabalhistas, uma é recente, ou seja, de 2020, na gestão do então presidente, Adauto Carvalho, que sempre alardeava que tudo estava tranquilo quanto ao pagamento dos salários dos jogadores. Do zagueiro Marcelo Henrique, que pediu até o pagamento do adicional noturno, que é um benefício criado para as pessoas que trabalham durante a noite, como por, exemplo, vigias. Marcelo Henrique sequer jogou, pois chegou ’bichado’ e não conseguiu se recuperar e ficou apenas realizando tratamento.

Outras duas reclamações trabalhistas que chegaram ao conhecimento da diretoria, foram do lateral esquerdo Ricardo e do zagueiro que era conhecido por Barba Negra, que passaram por aqui em 2016, na malfadada gestão do ex-prefeito de Brejão, Alexandre Santos. A outra do treinador Vinicius Saldanha, que já foi treinador do Cavalo de Aço, por seis oportunidades. Uma delas em 2018, gestão Adauto Carvalho, ocasião que conquistou o título maranhense em cima do Moto, na histórica virada no Castelão.

 Vinicius substituiu Paulinho Kobayashi na época. Vale lembrar, que antes dele voltar ao Imperatriz, essa reclamação trabalhista já tramitava. O erro foi do presidente Adauto Carvalho, em tê-lo contratado com processo de reclamação trabalhista contra o clube.

O presidente Wagnner Ayres já fez vários acertos, e provou isso na prestação de contas, mas existem várias outras reclamações. Adauto Carvalho disse na época, que tinha feito acertos com alguns jogadores, mas não provou, porque até hoje não prestou contas de sua gestão.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »